Notícias

Audiência debate reajuste de aposentadorias e fator previdenciário

22 de outubro de 2008

           

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal realizou uma audiência pública, no dia 29 de outubro, para discutir o projeto de lei que visa recompor o poder aquisitivo das aposentadorias e das pensões pagas pela Previdência Social aos seus segurados e, pela União, aos seus inativos e pensionistas. Movimentos de aposentados e trabalhadores de todo o país participaram da audiência e também protestaram contra o fator previdenciário. O índice é usado desde 1999 para calcular o valor das aposentadorias e considera a idade do trabalhador, o tempo de contribuição e a expectativa de sobrevida no momento da concessão do benefício. 

            O fim do fator foi aprovado, no dia 8 de outubro, pela Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara Federal. O projeto ainda será analisado por duas outras comissões – de Finanças e Tributação e de Constituição e Justiça – e pelo Plenário da Câmara, antes de ser sujeito à sanção do presidente Lula. No dia 17 de outubro, a comissão de Finanças e Tributação informou que ainda não foi designado um relator para a matéria, o que só seria feito após o segundo turno das Eleições 2008, pelo presidente deputado Pedro Eugênio.

            De acordo com Nardeli da Conceição Silva, diretora do Deasinpro (Departamento de Professores Aposentados do Sinpro Minas), o fator previdenciário é extremamente prejudicial para todos os aposentados brasileiros, por isso, devemos pressionar para que seja derrubado na Câmara. “Além disso, os salários dos aposentados e pensionistas devem ser equiparados ao salário mínimo e reajustados conforme o mesmo, visando diminuir as perdas inflacionárias”, conclui.  

           Segundo o senador Paulo Paim, o fator previdenciário diminui o valor do benefício ou estimula o retardamento da aposentadoria. “Ele penaliza, sobretudo, aqueles que começam a trabalhar mais cedo e fazem parte da parcela mais pobre da população trabalhadora”, argumenta o senador. O senador dá o exemplo de uma mulher de 46 anos que contribuiu durante 30 anos. Se o fator, no caso 0,514, for aplicado na média salarial de suas contribuições, o salário-de-benefício será 48,6% menor. Essa diminuição só não ocorreria caso essa mulher trabalhasse até os 56 anos e contribuísse mais 9 anos. Por isso, prossegue o senador, ele propôs que sejam retomados os critérios anteriores de cálculo da aposentadoria.

 

 Como funciona o fator previdenciário:

O fator previdenciário foi criado pela Lei 9876/99 com a finalidade de desestimular a aposentadoria precoce, diminuindo o valor dos benefícios previdenciários, no momento de sua concessão, de maneira inversamente proporcional à idade de aposentadoria do segurado. Quanto menor a idade de aposentadoria, maior o redutor. Outro elemento que influi no valor do benefício é a expectativa de sobrevida no momento da aposentadoria. Anualmente, o IBGE pesquisa a expectativa de vida do brasileiro, que tem aumentado nos últimos anos. Isto interfere no fator previdenciário, reduzindo ainda mais o benefício sempre que a expectativa de vida cresce.

O terceiro elemento que interfere no fator previdenciário é o tempo de contribuição. Quanto maior o tempo de contribuição ao INSS, menor o redutor aplicado. O segurado precisa contribuir pelo menos 30 anos, se mulher, ou 35 anos, se for homem. O fator previdenciário é aplicado também nas aposentadorias por idade (opcional), e por tempo de contribuição (obrigatório). Não se aplica o Fator nas aposentadorias especiais; aposentadoria por invalidez; pensão; auxílio-acidente; salário-maternidade; e auxílio-reclusão.

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha