Notícias

Banco Central sufoca o crescimento do país

1 de novembro de 2007

Contrariando os interesses da nação e dos trabalhadores, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu, em sua sétima reunião do ano, realizada nos dias 16 e 17 de outubro, interromper um ciclo de dois anos de queda do juros, mantendo a taxa básica em 11,25%.

Para Gilson Reis, presidente do Sinpro Minas, a decisão do Copom de manter a taxa de juros em 11,25% interrompe um ciclo de crescimento econômico, geração de emprego e distribuição de renda. “Não podemos aceitar que o Banco Central continue impondo ao Brasil ajustes macroeconômicos perpetrados pela banca nacional e internacional. Este governo não pode continuar aceitando as diretrizes impostas de fora para dentro”.

A próxima reunião do Copom está marcada para o dia 5 de dezembro. A questão, agora, é saber quando será retomada a tendência de queda. Apesar desse percentual (11,25%) ser a taxa de juros mais baixa da história do Banco Central, dos países emergentes, só a Turquia pratica juros mais altos.

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha