Notícias

Crise e um novo projeto para o Brasil

25 de março de 2009

 Este é o tema do debate que reunirá o deputado federal Ciro Gomes (PSB), o presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo e o presidente estadual do PT, Reginaldo Lopes. O evento será amanhã, quinta-feira, dia 26, às 19 horas, na Assembléia Legislativa e é uma iniciativa dos partidos do Bloco de Esquerda para procurar saídas ao grave momento que passa e economia mundial.

Várias iniciativas têm sido tomadas para fomentar o debate econômico nos últimos dias. Neste final de semana, Renato Rabelo debateu com o economista e presidente do IPEA, Marcio Pochmann o tema em uma atividade organizada em São Paulo pelo Vermelho e a Revista Fórum. Ali, o dirigente comunista se deteve em especial na questão das alternativas diante da crise. ”A crise não é um processo neutro, com saídas técnicas. Os donos do processo procuram transmitir essa ideia. Na realidade, o processo de crise que vivemos provoca uma luta política acirrada, encarniçada”, opinou.

”Quem paga a crise? E quem ganha com a crise? Solução da crise a favor de quem e contra quem? Na lógica do capitalismo, a maioria paga e uma minoria se salva. Isso é reflexo de uma luta de classes, que se expressa no plano mundial e nacional. Isso requer luta, dura e crescente, para que a maioria não pague pela crise”, sublinhou Renato em São Paulo.

Ciro Gomes

O deputado Ciro Gomes também tem percorrido o país debatendo alternativas para enfrentar a crise. Ele analisa que a crise financeira iniciada nos Estados Unidos se deu por conta da desregulamentação do mercado que começou a transformar dívida em ativo. Um consumidor sem dinheiro queria comprar uma casa e o mercado de olho nesse cliente em potencial começou a emitir hipotecas ruins que passaram, em seguida, a ser negociadas com valores superestimados. ”Segurança 100% e o máximo de rentabilidade é o que busca o investidor especulativo e o que foi obtido com essas hipotecas emitidas”, analisou Ciro na ocasião.

Para Ciro, ”o sistema financeiro americano está quebrado”. A declaração de falência da seguradora AIG e o fato de o governo dos Estados Unidos ser hoje o principal acionista de instituições bancárias são exemplos incontestáveis de que sua economia está em ruínas.

Dia: 26 de março (quinta-feira)

 Horáriol: 19 horas

Local:Auditório da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, Rua Rodrigues Caldas, 30

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha