Notícias

Filosofia e Sociologia devem voltar ao ensino médio

8 de maio de 2008

Trinta e sete anos depois de excluídas dos currículos pelo regime militar, as disciplinas de Filosofia e Sociologia deverão se tornar, mais uma vez, disciplinas obrigatórias do ensino médio. É o que determina o projeto de lei da Câmara 4/08, que recebeu nessa terça-feira (6) parecer favorável da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado. Caso seja também aprovado pelo Plenário da Casa, para onde foi encaminhado em regime de urgência, o projeto será enviado à sanção presidencial.

Em seu voto favorável, o relator da matéria, senador Valter Pereira (PMDB-MS), recordou que a luta pela reinclusão das duas disciplinas no ensino médio começou logo depois que elas foram substituídas pelas matérias de Educação Moral e Cívica e de Organização Social e Política do Brasil. Os professores que lideraram o movimento, observou o senador, consideram o estudo de Filosofia e Sociologia “indispensáveis para a formação integral de nossos jovens”.

Veto presidencial Em 2001, as disciplinas por pouco não se tornaram obrigatórias. Na época, o então presidente Fernando Henrique Cardoso vetou um projeto de lei, aprovado por deputados e senadores, que previa a obrigatoriedade dessas disciplinas nos currículos escolares do ensino médio brasileiro. Fernando Henrique alegou que, se transformado em lei, o projeto traria “ônus para os estados e o Distrito Federal, pressupondo a necessidade da criação de cargos para a contratação de professores de tais disciplinas”.

Hoje, o contexto é diferente, tendo em vista que em pelo menos quinze Estados brasileiros os currículos do ensino médio já incluem as disciplinas de Filosofia e Sociologia. Para a CNTE, essas disciplinas são fundamentais na formação do pensamento crítico da juventude.  O Sinpro Minas também avalia como positivo o parecer favorável da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado e espera que o projeto seja apreciado o mais rápido possível pelos senadores. “Caso seja aprovado e sancionado pelo presidente, será um ganho enorme para a sociedade brasileira, já que as disciplinas são fundamentais na formação de uma consciência mais crítica acerca da realidade”, observa Gilson Reis, presidente do Sinpro Minas. 

Com informações da CNTE e da Agência Senado

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha