Notícias

Fórum Social Mundial 2018 começa com atividades da CTB

Com o tema central “Povos, Territórios e Movimentos em Resistência”, e o slogan “Resistir é criar, resistir é transformar”, o Fórum Social Mundial (FSM)  começou ontem com a chegada de diversas delegações de todo o mundo e com a pluralidade dos movimentos sociais e sindical. o FSM 2018 consolida-se como um evento de resistência contra os retrocessos e os ataques à democracia no Brasil. Criado em 2001, em Porto Alegre, como contraponto ao Fórum Econômico Mundial de Davos,  o FSM 2018 será realizado entre terça (13/03) e sábado (17/03), em Salvador – capital da Bahia.

A CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – está participando ativamente, principalmente em conjunto com outras centrais sindicais para debater no Fórum as questões candentes à Classe Trabalhadora em um momento que precisamos buscar unidade e  resistência ante às inúmeras dificuldades e retiradas de direito impostas aos trabalhadores brasileiros. As centrais sindicais entendem que o melhor caminho é a UNIDADE e só com ela poderemos achar a saída da crise socioeconômica e política e enfrentarmos o ultraliberalismo conjuntural. Com a finalidade de retomarmos os avanços econômicos e sociais para os trabalhadores e trabalhadoras do país, a  unidade de representação é o único caminho possível e necessário.

Diversas entidades filiadas à CTB participaram, na tarde dessa terça-feira (13/03), da marcha de abertura do Fórum Social Mundial 2018, conhecida como Marcha dos Povos. O evento, que tomou as ruas do Centro, contou com as presenças dos presidentes nacional da Central, Adilson Araújo, e estadual, Pascoal Carneiro.

O presidente nacional, Adilson Araújo, defendeu a importância do encontro dos povos, principalmente, pela marca da diversidade –  de gente, de lutas e de experiências. Para ele, o FSM acontece em um momento delicado, “em que o mundo reclama as repercussões da grave crise econômica mundial”, e servirá para denunciar uma agenda ultraliberal que quer se firmar.

Foto: Solange Argolo

Para Adilson Araújo, é preciso estar sempre atento para impedir o avanço dessa agenda contra os trabalhadores que, segundo ele, significa retroagir em relação às conquistas históricas de direitos fundamentais. “Ganhar as ruas é também fortalecer o processo de mobilização contra todo e qualquer retrocesso”, afirmou.

A CTB Bahia, por estar sediada no local do evento, toma um grande protagonismo nas atividades sindicais do FSM.  Está previsto o painel ‘Reforma trabalhista e os desafios do movimento sindical’, que acontece quinta-feira (15/03), das 14h às 17h, no auditório da Assufba-Sindicato, no bairro Federação. A abertura do painel contará com a presença do presidente nacional da CTB, Adilson Araújo, e o presidente da CTB-BA, Pascoal Carneiro e será coordenado pela vice-presidente da CTB-BA, Rosa de Souza. Palestrantes: Guilherme da Hora Pereira, especialista em legislação sindical e trabalhista, e Mauricio Miguel, responsável pelo departamento internacional da CGTP-IN de Portugal.

A Assufba-Sindicato promove o debate ‘Os impactos da reforma da Previdência no serviço público e na educação’, nesta quarta-feira (14/03), às 14h, no auditório do Sindicato, localizado na rua Professor Severo Pessoa, nº 170, Federação. A atividade contará com a presença da deputada federal Alice Portugal (PCdoB) e representantes dos servidores nas esferas federal, estadual e municipal.

O Sindicato dos Bancários promove painel também na quarta-feira (14/03), com o tema ‘Mídia sindical e democratização dos meios de comunicação’. O evento será às 14h, na sala 11 da FACOM (Faculdade de Comunicação da UFBA), em Ondina. A palestra será ministrada pelo presidente do Sindicato, Augusto Vasconcelos, e a secretária-geral do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé e coordenadora geral do FNDC (Fórum Nacional da Democratização da Comunicação), Renata Mielli.

A Fetag-BA realiza a discussão ‘Agricultura familiar e desenvolvimento sustentável e agroecologia’, na quinta-feira (15/03), das 9h às 11h30, no campus de Ondina.

A Fitmetal promove o debate ‘A indústria e as perspectivas da classe trabalhadora: resistência, luta e desenvolvimento’. A palestra acontece na quarta-feira (14/03), às 16h, no campus de Ondina.

 A APLB se inscreveu com o tema ‘Nome social na escola: uma questão de educação’. A atividade está marcada para quinta-feira (15/03), das 15 às 16h.

* Com informações da CTB-BA

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha