Notícias

Mais de 1,5 mil pessoas participam de ato de fundação da CTB

13 de dezembro de 2007

Em Belo Horizonte, sindicalistas de todo o país fundaram, durante congresso, a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil

 

 

 

O auditório do Sesc Venda Nova, em Belo Horizonte, ficou pequeno nessa quarta-feira (12). Cerca de 1,5 mil pessoas, entre dirigentes sindicais de todo o país, parlamentares, convidados e representantes de organizações de trabalhadores do campo e da cidade lotaram o local e assistiram à fundação da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB). Foi Wagner Gomes, presidente do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, quem fez o anúncio, às 20h34: “Nasce na cidade de Belo Horizonte a CTB”, dando início ao congresso de fundação da mais nova central sindical brasileira.

  

Wagner ressaltou os princípios da entidade, como a autonomia a governos, a luta por um projeto de desenvolvimento nacional com distribuição de renda e a defesa do sindicalismo classista, democrático e plural. “Se não formos plurais, já assinamos nossa sentença de morte”, frisou o sindicalista, ressaltando que a CTB reúne representantes de diversas correntes e partidos políticos distintos, além de lideranças independentes.

  

“Fui um dos primeiros a defender a participação da CTB na Marcha das Centrais a Brasília, no começo do mês, mesmo antes deste congresso de fundação”, afirmou o deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho (PDT-SP), presidente da Força Sindical. Ele também lembrou o momento oportuno em que surge a CTB, quase simultaneamente à legalização das centrais.

 

Presente ao ato político de abertura, o ministro do Esporte, Orlando Silva, destacou a ousadia dos sindicalistas que forjam a nova entidade, pautada pelo sindicalismo classista, democrático e plural. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou uma mensagem de saudação à CTB e desejou “boa sorte” à iniciativa.

 

Sindicalismo classista 

“Temos muito para mostrar após a fundação da CTB: um sindicalismo classista, democrático, que construa, de fato, uma aliança entre os trabalhadores do campo e da cidade. Esse é o nosso objetivo”, ressaltou Pascoal Carneiro, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos da Bahia. Entre as bandeiras da nova central, Pascoal destacou a luta em torno da unicidade sindical, para não dividir os trabalhadores. “Essa é uma bandeira que vamos defender o tempo todo”, afirmou.

 

Já o coordenador nacional da Corrente Sindical Classista, João Batista Lemos, disse que o congresso representa um importante passo na história do sindicalismo brasileiro. “Estamos aqui organizando uma central para lutar e unificar os trabalhadores de todo o país. Vamos jogar um papel protagonista no processo de transformação social do Brasil, e a CTB será um instrumento disso, de unificação da classe para a sua emancipação.”

 

Várias forças 

Diversas entidades e partidos políticos também prestigiam o congresso, através de seus dirigentes nacionais. É o caso do PSB, PDT, PCdoB, UNE, MST, Contee, Fitee, Contag, Conam, Unegro, UBM, Força Sindical, UGT, CGTB, Nova Central, além de diversas federações de trabalhadores e a Confederação dos Marítimos. O congresso conta, ainda, com representantes de centrais sindicais de 20 países, como Cuba, Argentina, Espanha, França, Argélia, Índia e Síria, que prestaram homenagem à CTB. Falando em nome da delegação internacional, o sírio Abid Miro, presidente da Federação Sindical Mundial, arrancou aplausos ao vislumbrar que a CTB tem condições de se tornar a “grande central brasileira”.

 

O congresso de fundação vai até sexta-feira (14), quando os delegados votam o plano de lutas da nova entidade e elegem a direção da central. Wagner Gomes deve ser eleito o primeiro presidente. Nesta quinta, os delegados debatem e votam Carta de Princípios, bem como os estatutos da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil.

 

Com André Cintra, do Vermelho

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha