Notícias

Milhões lotam as ruas do país, e atos convocam para greve geral em 14 de junho

O Brasil foi às ruas ontem, dia 30 de maio, no segundo ato em duas semanas contra o corte de verbas na educação e a reforma da Previdência.

Milhões de estudantes, professores, trabalhadores e representantes de movimentos sociais e entidades sindicais lotaram as vias públicas do país com faixas, cartazes, carros de som e muita disposição para lutar por mais investimentos no sistema educacional e contra o desmonte da Previdência pública.

Em todos os estados brasileiros, os atos terminaram com um chamado para a greve geral contra a reforma da Previdência e a retirada de direitos, no dia 14 de junho. Em Belo Horizonte, o protesto reuniu mais de 250 mil pessoas. A concentração começou na Praça Afonso Arinos, no Centro da capital, e seguiu em direção à Praça da Estação.

ato pela educação 30m RJ
A manifestação em São Paulo (SP) reuniu cerca de 300 mil pessoas. O ato começou no largo da Batata, na zona Oeste da capital, e seguiu em marcha até o Museu de Arte de São Paulo (MASP), no Centro. No Rio de Janeiro, foram mais de 100 mil pessoas. O ato seguiu na região central da cidade, pela avenida Rio Branco, em direção à Cinelândia.

“Brincaram com o formigueiro, deu nisso!”, afirmou nas redes sociais o cientista Miguel Nicolelis. “Nossa mobilização segue contra os cortes no orçamento da educação e os ataques à autonomia das universidades. A resposta dos estudantes à falta do diálogo do governo e à forma como trata a educação e a pesquisa está nesse grande movimento nas ruas”, avalia Marianna Dias, presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE).

ato pela educação 30m SP Foto @imbassahy

Segundo o coordenador-geral da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Contee), Gilson Reis, as manifestações representam um momento de força e energia dos estudantes e trabalhadores. “Ressalto a alegria estampada no rosto das pessoas, como se voltasse a alegria de lutar, a alegria de viver, a alegria de resistir, a alegria de ver o outro do seu lado, aquele ‘vamos dar as mãos’”, observou. “Foi um dia radiante, um dia inesquecível, um dia para a gente dizer que é possível e necessário continuar na luta com e pelo nosso povo, resistindo a essa selvageria que é o governo Bolsonaro e construindo uma sociedade muito mais forte, com capacidade de reivindicar e defender seus direitos e sua dignidade.”

ato pela educação 30m mídia ninja

Greve geral em 14 de junho
Para a presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato, o segundo ato superou as expectativas dos organizadores e foi mais uma demonstração de que a sociedade não aceitará retrocessos. “Em 15 dias, lotamos as ruas e praças do país duas vezes. Agora vamos concentrar nossos esforços para ampliar o chamado para a greve geral, em 14 de junho, quando iremos deixá-las vazias, assim como fizemos em 2017. Temos certeza de que haverá uma adesão em massa dos trabalhadores, vamos parar o Brasil novamente”, destacou a presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato.

Confira abaixo a galeria de fotos:

 Fotos: Mídia Ninja
Com informações da Contee

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha