Notícias

Mobilização no Triângulo é intensificada

Diretores do Sinpro Minas reforçaram, nesta semana, vários atos de mobilização da categoria em cidades do Triângulo Mineiro, onde a situação dos professores segue indefinida, já que, em função da postura intransigente do sindicato patronal (Sinepe Triângulo), ainda não foi assinada a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) garantindo os direitos e conquistas dos docentes. Na próxima terça-feira, 13, haverá nova rodada de negociações.

Para mobilizar a categoria, os diretores visitaram diversas escolas e distribuíram materiais informativos sobre os direitos dos professores. Manifestações contra demissões em massa na Unitri e em outras instituições de ensino também foram realizadas.

Impasse

Em dezembro de 2018, houve a primeira rodada de negociação com o sindicato patronal na região. Desde então, outras reuniões foram realizadas, mas o impasse permaneceu. Os donos de escolas insistem em mudar cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho, com sérios prejuízos aos direitos da categoria. O Sinpro Minas sempre esteve aberto às negociações, mas deixou claro que não aceitará retrocessos em relação às conquistas históricas dos docentes, e, para isso, ajuizou o dissídio coletivo junto ao Tribunal Regional do Trabalho.

Na avaliação da diretoria do Sinpro Minas, o cenário atual demanda uma forte mobilização dos professores e professoras para pressionar os empresários da educação privada a aceitar suas reivindicações, garantindo melhores condições de trabalho e, por consequência, maior qualidade da educação.

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Montes Claros
Poços de Caldas
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia