Notícias

Moção de repúdio à ação de censura contra professor da Ufop

O Sinpro Minas, na constante luta pela democracia, liberdade de expressão e de conhecimento, repudia a ação da Polícia Federal de abrir inquérito policial para investigar o professor André Mayer, da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), acusado de crime de desobediência por manter o grupo de pesquisa acadêmica Liga dos Comunistas, no Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA), no campus de Mariana.

O professor André Mayer, também diretor da Associação dos Docentes da Ufop (Adufop), vai prestar depoimento na Superintendência da Polícia Federal, em Belo Horizonte, no próximo dia 29 de novembro. Junto a ele, o ex-reitor Marcone Jamilson Sousa também foi intimado a depor por responder pela direção da universidade à época das denúncias.

A abertura do inquérito foi pedida pelo Ministério Público Federal (MPF) em maio deste ano, após receber uma denúncia anônima sobre a “continuidade das atividades” da Liga dos Comunistas. A requisição para instaurar o inquérito, foi acatada agora pela PF. A PF se baseia na decisão do juiz José Carlos do Vale Madeira, da 5ª Vara Federal do Maranhão, que determinou a extião do Centro de Difusão de Comunismo (CDC). Porém, o grupo de pesquisa em questão é financiado pelo CNPq e não tem qualquer vínculo com o antigo CDC, desde que o núcleo foi embargado pelo juiz.

De acordo com André Mayer, o grupo de pesquisa foi criado em 2009. Existia antes do CDC e continuou a funcionar após a paralisação do CDC, em 2013, porque é um grupo de pesquisa independente, mantido com financiamento do CNPq.

Este fato demonstra que o Brasil, pós golpe, não vive mais um Estado de direito. Ações de opressão ferem os direitos de todo cidadão, garantidos pela Constituição Federal, e dão uma conotação política. Falar de marxismo e comunismo e defender a classe trabalhadora numa conjuntura de retirada de direitos como as já anunciadas pelas reformas trabalhista e terceirização é um grande desafio. Precisamos retomar a democracia no Brasil e não aceitar nenhuma forma de opressão e repressão.

Histórico

O Centro de Difusão do Comunismo (CDC) chegou a abrigar 20 estudantes com bolsas individuais de R$ 250. Com atividades gratuitas e abertas à comunidade, o CDC também manteve dois projetos principais, o Grupo de Debate e Militância Anticapitalista e a Liga dos Comunistas, além de dois cursos: “Mineração e Exploração dos Trabalhadores na Região da Ufop” e “Relações Sociais na Ordem do Capital – As Categorias Centrais da Teoria Social de Marx”. Com a extinção do CDC em 2013, a Liga dos Comunistas continuou como projeto próprio financiado pelo CNPq.

Luta contra a censura

Além dos ataques constantes à educação democrática, as artes também são alvo da opressão do atual governo ilegítimo e das ideias conservadoras que se solidificam com o golpe. Recentemente, foram vários os episódios de perseguição a artistas e a suas criações. No próximo dia 21 de novembro, terça-feira, será lançada a Frente Nacional Contra a Censura, com o objetivo de fortalecer um movimento amplo em defesa das liberdades e direitos democráticos. O Sinpro Minas convida a todos/as para esse ato, com o entendimento que é preciso unir forças na luta contra qualquer tipo de censura e opressão.

O lançamento será às 18h, no Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Mais informações, clique aqui! 

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha