Notícias

Professores do Pitágoras de Betim divulgam comunicado

24 de maio de 2010

Confira abaixo a nota da Comissão dos Professores da Faculdade Pitágoras de Betim acerca da situação na instituição de ensino.

COMUNICADO DOS PROFESSORES DA FACULDADE PITÁGORAS DE BETIM

Betim, 24 de maio de 2010

Na última quinta-feira (20 de maio de 2010), durante o intervalo do turno da noite, os professores da Faculdade Pitágoras de Betim fizeram uma reunião para deliberar sobre qual conduta de natureza coletiva deveria ser adotada quanto à paralisação marcada para o dia seguinte, 21 de maio, em Assembleia do Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais – Sinpro Minas.

A paralisação atendia a todas as exigências legais e tinha por objetivo mobilizar o corpo docente de todas as Faculdades Pitágoras para marcar uma reação consciente e bem fundamentada acerca das propostas de mudanças pedagógicas apresentadas pela Kroton Educacional S/A. A decisão dos professores presentes, por maioria, foi no sentido de aderirem à paralisação, sendo que todos deveriam se fazer presentes à Faculdade na sexta-feira, dia 21, e darem início a um aberto e franco debate a respeito da grave situação de instabilidade institucional por que passam.

Reunidos e cientes de que nenhuma mudança de tamanha repercussão acadêmica, como a implantação de um novo projeto pedagógico nos moldes comunicados pela Kroton Educacional S/A, com injustificáveis redução de carga horária e eliminação de disciplinas das grades curriculares vigentes, os professores que aderiram à paralisação do dia 21 de maio, assumiram a obrigação legal de zelar pela aprendizagem dos alunos e decidiram tomar providências no sentido de garantir a participação  docente no processo de elaboração de uma nova proposta pedagógica.

Além disso, os professores ali reunidos também decidiram aderir à nova paralisação marcada para a próxima sexta-feira, dia 28 de maio. Mas, considerando que parte do corpo docente que lecionará nesta data não estava presente na reunião do dia 21, decidiu-se que a partir da segunda-feira, 24, todos os dias serão realizados debates com a presença dos demais colegas.

Nossa expectativa é que a totalidade dos professores da Faculdade Pitágoras de Betim apoie e participe ativamente desse movimento de reação contra a tentativa de implantação autoritária deste modelo, caracterizando  total falta de respeito ao corpo docente, aos alunos e funcionários. Espera-se igualmente o apoio dos alunos, os quais estão diretamente envolvidos neste processo, pois apenas com sua participação ativa será possível levar adiante as aulas em curso, sem prejuízos educacionais.

Para seguir com clareza e lealdade nesse debate, que é de interesse de toda a comunidade acadêmica, os professores primarão pela qualidade na comunicação de suas decisões e reivindicações, divulgando-se informes e disponibilizando contato com a Comissão de representantes dos Professores da Faculdade Pitágoras de Betim,  que foi criada na reunião de paralisação do dia 21/05/10.

Diante de tudo o que foi exposto, apresentam-se publicamente as seguintes reivindicações:

a) a suspensão do atual processo de implantação irregular de reformas pedagógicas na instituição;

b) a composição de um órgão colegiado da Faculdade Pitágoras de Betim com efetiva participação dos corpos docente e discente para a condução de possíveis mudanças acadêmicas, conforme exige o Decreto 5.773/2006 e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional;

c) a criação dos respectivos órgãos representativos de alunos, de professores e do pessoal técnico-administrativo para exercerem, dentre várias funções, a de participar do processo de supervisão da Faculdade, atendendo à legislação para o ensino superior;

d) disponibilização integral do atual Plano de Desenvolvimento Institucional, na sala dos professores e no setor acadêmico, de forma que toda a comunidade acadêmica tenha acesso às regras vigentes de funcionamento da instituição,

e) a presença de representantes da Diretoria do Sinpro Minas nas reuniões de docentes, especialmente para que atuem, conjugados à Comissão de representantes, durante os intervalos de aula para trazerem informes de interesse da categoria profissional na sala dos professores.

Por fim, declaram-se os seguintes princípios norteadores deste movimento de professores:

I – os professores da Faculdade Pitágoras de Betim, presentes na reunião do último dia 21/05, não são contra qualquer mudança na instituição, mas apenas contra as irregularidades no atual processo de tentativa de implantação forçada do chamado “modelo acadêmico Kroton-Iuni”.

II – o movimento de reação e indignação é pacífico e ordeiro, não admitindo qualquer atitude fora da legalidade e do Estado Democrático de Direito;

III – exigem-se apenas respeito e um projeto pedagógico que reflita as reais necessidades dos alunos e não medidas meramente fundamentadas  nos interesses econômico-financeiros;  uma Instituição de Ensino Superior não pode ser tratada como uma empresa que visa apenas ao lucro; sua essência deve ser ensinar e educar, e isso pressupõe respeito, diálogo e participação acadêmica;

IV – apoia-se o Sinpro Minas nas providências que já vêm sendo adotadas contra o processo de mercantilização da educação superior e em defesa de uma formação profissional de qualidade.

Comissão de Representantes dos Professores da Faculdade Pitágoras de Betim

 

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha