Notícias

Professores do Uni-BH encerram greve

19 de fevereiro de 2009

Em assembleia realizada nesta quinta-feira (19/2), na Faculdade de Direito da UFMG, os professores do Uni-BH decidiram encerrar a greve iniciada na última segunda. Diante da paralisação das atividades docentes, o grupo educacional Ânima e a Fundac negociaram com o Sinpro Minas e a Ad-Uni as reivindicações dos professores aprovadas na assembleia do dia 16/02.

A proposta protocolada na Superintendência Regional do Trabalho (SRT) e aprovada na assembleia prevê a quitação do 13º salário hoje (19/02) e das férias e um terço constitucional até 13 de março, a garantia de emprego até junho deste ano, a manutenção das bolsas de estudo, a ampliação de mais 200 bolsas para alunos carentes, o pagamento dos dias parados durante a greve, entre outras garantias (leia abaixo os pontos do acordo). 

Para o Sinpro Minas, a mobilização dos professores e a greve foram decisivas para pressionar a direção da instituição de ensino a aceitar as reivindicações da categoria e a apresentar uma proposta concreta de regularização das pendências trabalhistas. “As negociações só avançaram porque fomos à luta e não cedemos às pressões”, afirma Gilson Reis.

Na assembleia, os professores ressaltaram o mérito daqueles que, mesmo durante o período de férias, se sacrificaram participando das discussões sobre os problemas coletivos e construindo a mobilização que levou à vitória. Também destacaram a importância do apoio e da compreensão dos alunos. O professor do Uni-BH e diretor do Sinpro Minas Marco Eliel Santos reiterou que essa proposta não foi uma concessão, mas uma grande conquista. Proposta de acordo

1) Pagamento do 13º em 19/02/092) Pagamento das férias até 13/033) Pagamento dos salários até o 5º dia útil4) Garantia de emprego até junho/095) Criação de uma comissão paritária, na nova mantenedora, com a participação de professores eleitos por seus pares, para discutir critérios de contratações e demissões.6) Não desconto dos dias parados durante a greve7) Garantia de pagamento do passivo trabalhista (resilições, multas e ações de cumprimento na Justiça) até dezembro de 2009.8) Manutenção das bolsas e estudo e ampliação de mais 200 bolsas para alunos carentes9) Todos os direitos trabalhistas serão mantidos, sendo assumidos por sucessão trabalhista pela nova mantenedora.

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha