Notícias

Sinpro Minas questiona venda do Uni-BH

10 de fevereiro de 2009

O Centro Universitário de Belo Horizonte (Uni-BH) é uma instituição de 45 anos de serviços prestados na área de ensino, pesquisa e extensão em Belo Horizonte e que sempre foi referência como modelo pedagógico e de qualidade de educação superior na cidade. Entretanto, por uma série de sobressaltos administrativos e financeiros foi vendido, conforme noticiado, por não ter como pagar o passivo trabalhista de seus 800 professores e 700 funcionários, para o Grupo Anima, que também detém o controle administrativo do Centro Universitário UNA.

O que ainda não foi esclarecido e nem discutido com a comunidade acadêmica (professores, funcionários e alunos) são os reais motivos e consequências dessa negociação, sob a alegação de que, se não fosse feita no prazo de 48 horas, o negócio seria desfeito. O Sindicato dos Professores da rede privada (Sinpro Minas) e a Associação de Docentes (Ad-Uni) só vieram a saber da nebulosa negociação uma hora antes do início de uma assembleia convocada para debater o problema dos atrasos de salários. Ambas as entidades repudiam a forma como foi utilizado o argumento de uma possibilidade de greve para justificar uma negociação apressada e sem transparência entre a Fundac (mantenedora) e o grupo privado paulista.

Salienta, ainda, que o problema do Uni-BH não tem relação com a crise financeira internacional, pois nos últimos anos a instituição ampliou o número de cursos e alunos. Portanto, não se justifica a venda de um patrimônio avaliado em 450 milhões de reais em função de uma dívida trabalhista. Com os salários de professores e funcionários em atraso por três meses, é lastimável que a instituição cujo lema é a “Marca da Educação” utilize os direitos trabalhistas como álibi para articular a mercantilização do ensino.

O que está em jogo não é só o passivo trabalhista, ou a ameaça de greve dos professores e funcionários, mas a qualidade do ensino e um projeto pedagógico centrado na pesquisa e no desenvolvimento social de Minas e do país. O processo em andamento no Uni-BH coloca em xeque a universidade que queremos para o ensino superior e o que os professores, alunos e toda a sociedade merecem. Educação não é mercadoria!

Sinpro Minas

Assembléia dos Professores do Uni-BH

Dia: 11/02/2009 (quarta-feira)Horário: 18h30Local: Auditório Ney Soares (Rua Diamantina, 463, bairro Lagoinha – BH)Pauta: Deliberação sobre irregularidades trabalhistas e atrasos salariais

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha