Notícias

Trabalhadores da rede estadual de educação mantêm greve por tempo indeterminado

16 de abril de 2010

Os trabalhadores em educação de Minas Gerais aprovaram na tarde dessa quinta-feira (15/04) a manutenção da greve por tempo indeterminado, iniciada no dia 8 de abril. A decisão foi votada em assembleia da categoria, no pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que contou com a participação de cerca de 7 mil trabalhadores de todas as regiões do estado. A próxima assembleia será dia 21 de abril, em São João del Rei.

Após a assembleia, os trabalhadores saíram da Assembleia em passeata até a Praça 7, no Centro de Belo Horizonte. Durante todo o trajeto, houve protesto contra o descaso do governo estadual. 

A principal reivindicação dos servidores é a implementação do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN) de R$1.312,00 (valor atual). A coordenadora-geral do SindUte/MG, Beatriz Cerqueira, é enfática ao defender a implementação do piso. “O reajuste salarial de 10% anunciado pelo ex-governador Aécio Neves não modifica os salários recebidos pelos profissionais da educação. Ao contrário do que foi divulgado, atualmente existe um teto salarial e não piso. O valor de R$935,00 corresponde ao total da remuneração, ou seja, a um teto salarial. Minas Gerais tem o 8º pior salário do país”, afirmou a coordenadora-geral.

Fonte: Sindute/MG

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha