Notícias

Sinpro Minas manifesta solidariedade a Manuela D’Ávila 

Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

A diretoria do Sinpro Minas manifesta solidariedade à ex-deputada federal Manuela D’Ávila, que tem sofrido ataques e ameaças de morte por parte de grupos de ódio nas redes sociais.   

A violência também não tem poupado sua família. De acordo com recente denúncia feita à polícia, sua filha, de 5 anos, foi ameaçada de estupro, após ter a imagem divulgada na internet. A foto, conforme denunciou Manuela, foi feita pelo pai de uma criança que estuda na mesma escola de sua filha.  

Uma atitude desumana, cruel, cujos responsáveis devem responder na Justiça pelos atos criminosos. Merece o forte repúdio de todos e não pode ficar impune, como tem ocorrido em inúmeros casos semelhantes.   

Infelizmente, os ataques à ex-deputada têm sido frequentes, em função da sua liderança política no país. Filiada ao PCdoB, Manuela D‘Ávila começou sua carreira política no movimento estudantil. Foi deputada federal pelo Rio Grande do Sul por dois mandatos e candidata a vice-presidente da República na eleição de 2018.  

Em 2014, foi eleita deputada estadual com a maior votação para o cargo naquele ano. Na eleição municipal de 2020, disputou o segundo turno para a prefeitura de Porto Alegre, tendo recebido expressiva votação.

Não resta dúvida de que aqueles que assim agem fazem parte de uma parcela da sociedade hostil à democracia, habituada com a produção e divulgação de fake news. Buscam, com essa prática criminosa,  espalhar mentiras, distorcer a realidade e difamar reputações. No âmbito escolar, são os mesmos grupos que tentam interferir na autonomia docente, intimidam os professores e defendem projetos como o “escola sem partido”.   

Dessa forma, o Sinpro Minas reitera a sua solidariedade a Manuela D’Ávila e seus familiares e reafirma o repúdio às campanhas promovidas por grupos reacionários na internet, que, invariavelmente, desinformam e promovem o ódio.    

 

Várias entidades, em solidariedade à Manuela D’Ávila e contra a violência política de gênero, construíram um abaixo-assinado pedindo Justiça, para que os criminosos sejam investigados e punidos. Para assinar, clique aqui! 

Comentários (0)

Deixe um comentário