Notícias

Sinpro Minas participa de reunião sobre retorno às aulas presenciais em Contagem

Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

A presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato, e a diretora Telma Patrícia se reuniram ontem (6/7) com a prefeita de Contagem, Marília Campos, para conversar sobre o protocolo sanitário de retorno às aulas presenciais na cidade.

Também participaram da reunião integrantes das secretarias de Educação e de Governo e do Sind-Ute/MG, sindicato que representa os professores da rede pública de ensino.

A prefeitura pediu aos sindicatos que avaliem o protocolo e, se necessário, façam sugestões de mudanças no documento, com o objetivo de garantir o retorno seguro às aulas presenciais.

De acordo com o protocolo publicado pela administração municipal, os professores e as equipes pedagógica e administrativa retornarão no dia 2 de agosto, para planejamento e organização das atividades pedagógicas. Já as aulas presenciais, com os estudantes nas escolas públicas e privadas, serão retomadas somente após os docentes terem tomado a segunda dose da vacina.

“Essa é a reivindicação que temos feito para todas as prefeituras do estado, desde o início deste ano, quando encaminhamos ofícios para discutir os protocolos e pedir a inclusão dos professores no grupo prioritário de imunização. Queremos contribuir com a construção desses documentos, porque conhecemos a realidade da sala de aula no setor privado de ensino. E também consideramos que, para garantir a segurança, o retorno dos docentes deve ocorrer somente após a segunda dose da vacina”, disse Valéria Morato, presidenta do Sinpro Minas.

Na reunião, Valéria Morato falou sobre o cotidiano dos professores da rede privada de ensino durante a pandemia e defendeu que o cumprimento dos protocolos sanitários seja fiscalizado. “Ficamos satisfeitas com a reunião e com o convite para participar dela. Iremos estudar as propostas previstas nesse protocolo, a fim de contribuir com as medidas de segurança. Agora, é preciso que haja fiscalização e denúncia das irregularidades, para que as aulas presenciais sejam de fato seguras para toda a comunidade escolar”, ressaltou Valéria Morato.

Recentemente, o Sinpro Minas criou um canal para que os professores denunciem, de forma anônima, irregularidades nas instituições de ensino relacionadas à pandemia. Clique aqui para acessá-lo.

Veto a projeto de lei
Também ontem foi aprovado na Câmara Municipal de Contagem um projeto de lei que transforma a educação em atividade essencial, para que não haja a possibilidade de paralisação das atividades por parte dos trabalhadores. Após pedido da presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato, a prefeita de Contagem, Marília Campos, garantiu na reunião que vai vetar esse projeto.

Comentários (0)

Deixe um comentário