Notícias

Carta aberta às autoridades do município de Varginha

Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

O mundo enfrenta a maior crise dos últimos séculos. A chegada do vírus corona nos impôs novos rearranjos no modo de vida e de produção. Há um ano fomos surpreendidos por esse vírus, sobre o qual nada se sabia, hoje, passado esse ano, a ciência avançou e muito, já se sabe sobre o comportamento do novo Corona Vírus.

Em tempo recorde, várias vacinas que visam o controle da pandemia foram desenvolvidas e já se iniciou o processo de imunização, que só terá efeito se for coletivo e universal.

Ocorre que, concomitante com o avanço da imunização, a experiência já ensinou que se faz urgente manter o controle do avanço desse vírus em razão inclusive das variantes que estão surgindo. Se assim não for, ele estará sempre um passo à frente e nossas ações serão sempre de enfrentar as consequências, sem afetar as causas.

Vemos cotidianamente os acontecimentos com enfrentamentos que se permeiam com a prevalência de medidas que objetivam garantir a economia: não se consegue sequer salvá-la, Manaus foi o exemplo e o alerta. Mas, insistimos em negar a gravidade, insistimos em medidas paliativas e sem coragem, insistimos em acreditar que salvar a economia será possível sem salvar vidas. Porém temos exemplos de resultados onde a coragem na defesa da vida e a visão de coletivo imperaram e salva-se também a economia.

Chegamos, no Brasil, a níveis genocidas de mortes, vemos a extinção de um povo. Frente ao caos, não nos reserva a escolha pela ilusão na crença de que nosso município não será atingido. Abrir leitos é uma boa saída para aliviar as consequências do retardo das medidas de contenção, mas, esperar para ver a tragédia anunciada é apostar no futuro caótico e talvez com poucas chances de retorno.

Assim vimos convocar as instituições responsáveis pela administração do bem coletivo ao enfrentamento da grave crise sanitária, econômica e social no município de Varginha, causado pela pandemia da Covid 19. Solicitamos primordialmente a coragem própria dos grandes homens públicos. Faz-se urgente que sejam tomadas medidas restritivas, a propor por no mínimo 15 dias:

1. Fechamento de clubes, academias, bares e restaurantes. Funcionamento do comércio somente para os serviços essenciais e os restantes no sistema delivery;

2. Fechamento das escolas e posterior reabertura somente após a vacinação dos profissionais da educação e alunos com idade para vacinar;

3. Limitação do número de usuários do sistema público de transporte e fiscalização do uso de máscaras e do cumprimento das novas regras;

4. Suspensão da venda de bebidas alcoólicas para evitar a aglomerações, inclusive em âmbito residencial;

5. Toque de recolher à partir das 20h;

6. Diminuição de turnos nas indústrias com o revezamento de trabalhadores;

7. Fiscalização e multa por descumprimento das regras restritivas;

8. Auxílio Emergencial e Isenção de Impostos municipais como IPTU, ISS, ITBI;

9. Transparência na divulgação diária sobre a lotação dos hospitais e leitos de UTI para Covid e para os demais casos;

10. Compra de vacinas pelo município;

11. Adesão da Onda Roxa do Minas Consciente de acordo com decreto governo do estado de Minas.

Assinam:

Coletivo Feminismo Popular de Varginha.

SINPRO MINAS, Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais.

SINDSEP MG, Sindicato dos Trabalhadores Ativos, Aposentados e Pensionistas do Serviço Público Federal no Estado de Minas Gerais.

SINTTEL MG, Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações do Estado de Minas Gerais.

SINTECT-MG, Sindicato dos Trabalhadores das Empresas de Correios e Telégrafos e Similares do Estado de Minas Gerais.

SINDUTE MG, Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais.

CTB MINAS, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil.

CUT MINAS, Central Única dos Trabalhadores.

Força Sindical.

FITEE, Federação Interestadual dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino.

CONTEE, Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino.

PCdoB, Partido Comunista do Brasil.

PT, Partido dos Trabalhadores.

Cristina Rezende Valle Souza
Antonio Pinto de Oliveira Neto
Maria das Graças Carvalho Seda
Cecilia Valle Souza Toledo
Jussara de Souza Lemos Moraes
Graciele Amâncio Pereira
Renata Ragi Baldoni Brandão
Mônica Junqueira Cardoso
Aerton de Paulo Silva
Abigail Emilia de Jesus Bracarense
Ademar Prado Junior
Thiago José de Oliveira Rodrigues
Namar Oliveira Silva Figueiredo
Nivaldo de Matos Vicente
Fanny Fernandes Valias
Roberta Medes Chaves Figueiredo
Janael da Silva Alves
Homero Amarantes da Silva
Líbia Tavares Pereira
Leonardo Alves Aguiar

Comentários (0)

Deixe um comentário