Notícias

Nota de apoio à greve dos metalúrgicos da empresa Sae Towers, em Betim

Enviar por e-mail
Imprimir página Imprimir agora
Tamanho das letras A+ A-

O Sinpro Minas manifesta publicamente apoio à greve dos metalúrgicos da fábrica Sae Towers, em Betim (MG), iniciada no último dia 3 de agosto. A greve, que já tem a adesão de 90% dos trabalhadores, tem o objetivo de garantir o direito a um valor justo na PLR (Participação nos Lucros e Resultados) de 2021, sendo que a empresa propôs, para este ano, uma PLR 40% inferior à de 2020.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região, a empresa manteve uma postura irredutível nas rodadas de negociação, alegando impactos da pandemia do Covid-19 nos resultados. Uma justificativa sem embasamento, já que, ainda de acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos, a produção não parou nesse período, inclusive com demanda de horas extras.

Além da PLR, os trabalhadores também lutam pela antecipação das negociações da campanha salarial 2021/2022, abono, manutenção dos direitos já conquistados, continuação da negociação de equiparação e adequação salarial, assim como a estabilidade no emprego.

Além de se solidarizar com a luta dos trabalhadores, o Sinpro Minas também manifesta repúdio às práticas antissindicais da Sae Towers. Além de tentar impedir a organização grevista, acionando a Justiça do Trabalho, a empresa ainda não pagou o adiantamento salarial dos grevistas, o que demonstra uma postura autoritária, que contraria o direito de greve, garantido pela Constituição.

Para a presidenta do Sinpro Minas e da CTB Minas, Valéria Morato, frente a uma onda avassaladora de ataques à classe trabalhadora, é preciso fortalecer as diversas resistências. “A pandemia tem sido um momento difícil, de luto e de enfrentamento a tantos desafios políticos, sociais e econômicos. É revoltante ver como a Sae Towers, assim como outras empresas, tem usado a pandemia para justificar a retirada de direitos”, afirma.

É certo que a classe trabalhadora tem sofrido com tantos retrocessos nos últimos tempos. Mas o direito à greve ainda é assegurado como instrumento de luta. A ação dos trabalhadores da Sae Towers entra para a história, como tantas outras greves e paralisações dos metalúrgicos, mantendo viva a memória combativa e a certeza de que só a luta muda a vida.

O Sinpro Minas reitera sua solidariedade à categoria e ao Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região, exigindo respeito à ação grevista e reabertura da mesa de negociações, em que as reivindicações dos trabalhadores sejam de fato ouvidas.

Comentários (0)

Deixe um comentário