Notícias

Nota de apoio à greve das/os trabalhadoras/es em educação

O Sinpro Minas declara publicamente seu apoio à greve das/os trabalhadoras/es em educação da rede estadual de Minas Gerais, iniciada nesta terça, 11/02, por tempo indeterminado.

A decisão, tomada em assembleia realizada no último dia 05/02, reflete o quanto a categoria docente segue sendo alvo da desvalorização e sucateamento da educação por parte do estado.

Uma das reivindicações das/os professoras/es é o pagamento do piso salarial (luta que já leva 12 anos). Atualmente, a categoria recebe menos de R$ 2 mil, sendo que o piso é de R$ 2.886,24, previsto em lei. Outra luta é pelo pagamento do 13º salário dos/as servidores/as que ainda não receberam o benefício referente a 2019.

Além disso pautam o fim da redução dos postos de trabalho na rede estadual, vinculada também à criação de um sistema online de matrículas, que tem colocado limitações às matrículas de estudantes e dificultado o acesso à educação. De acordo com Paulo Henrique Fonseca, diretor estadual o SindUTE (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais), com esse sistema, o governo tem excluído muitas pessoas, colocando alunos/as em escolas longe de suas casas, separados/as dos/as irmãos/ãs, fazendo com que muitos tenham que procurar vaga na rede municipal e até mesmo no setor privado.

Em tempos de tantos retrocessos, é necessário recordar que, mesmo em um contexto de tantos ataques, a educação é um direito constitucional, que deve ser assegurado em todos níveis  de governo. Segundo o SindUTE, “no ano passado, a categoria viu uma política de desemprego ser implementada a partir de milhares de demissões no programa “Escola de Tempo Integral”, com o Plano de Atendimento, fusão de turmas, municipalização de escolas estaduais e redução do Quadro Escola”.

O Sinpro Minas se solidariza com a luta dos/as professores/as e demais servidores/as da rede estadual, por entender que a luta por uma educação pública e de qualidade é reflexo de uma política de valorização de todas/os trabalhadores/as, estudantes e comunidade escolar. Que esta greve fortaleça a resistência contra a crescente retirada de direitos.

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha