Notícias

Unidade nas ruas contra a retirada de direitos

Um dia para ocupar as ruas e fortalecer a resistência em defesa dos direitos ameaçados pelo governo ilegítimo de Michel Temer. Nessa sexta-feira, 25 de novembro, milhares de manifestantes em todo o Brasil construíram mais um Dia Nacional de Lutas, com greves, paralisações e mobilizações. Em Belo Horizonte, a concentração foi na Praça Sete e reuniu centrais sindicais, movimentos sociais, trabalhadoras(es) e estudantes.

Cartazes, faixas e intervenções reforçaram a luta contra a PEC 55 (Proposta de Emenda à Constituição que corta os investimentos públicos nas áreas sociais), umas das grandes ameaças aos direitos do povo brasileiro. O ato também foi para denunciar as reformas da previdência e trabalhista, que representam um grande ataque aos trabalhadores(as). A manifestação também contou com a força das ocupações estudantis, que levou para a rua o grito em defesa de uma educação pública e de qualidade, além de muita criatividade para construir um ato diverso. Estudantes da Ocupação do curso de Belas Artes da UFMG, por exemplo, fizeram uma performance, “cortejo fúnebre” , que simulou o enterro da saúde e educação, consequência direta da aprovação da PEC 55. O caixão simbólico foi carregado pelos estudantes e artistas da ocupação.

O presidente nacional da CTB, Adilson Araújo, afirmou que as centrais estão alinhadas na construção de um calendário de Lutas pelo Brasil contra a supressão de direitos, flexibilização e precarização. “Nós levamos 70 anos para conseguir uma cesta básica de direitos. E é lamentável que fruto do golpe em 200 dias tenha se praticado mais de 500 medidas para penalizar a tão sofrida classe trabalhadora”, frisou Araújo em sua intervenção durante o ato realizado na cidade de São Paulo.

Para Valéria Morato, presidenta do Sinpro Minas, é muito importante reforçar a unidade com os movimentos sociais, sindicais e ocupações estudantis. “O momento é de unir forças em defesa de direitos historicamente conquistados. O Sinpro assume o compromisso de seguir construindo essa luta nas ruas e todos os espaços possíveis. Ocupar é resistir”, ressaltou.

A próxima mobilização contra a PEC 55 deve ocorrer em Brasília, no dia do primeiro turno de sua votação no Senado, 29 de novembro. O segundo turno da votação deve ocorrer no dia 13 de dezembro.

Confira abaixo a galeria de fotos do ato realizado em Belo Horizonte:

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Montes Claros
Poços de Caldas
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia