Notícias

Assembleias para discussão da pauta

11 de novembro de 2014

Campanha reivindicatória

 

A pauta da campanha reivindicatória 2015 será discutida em duas assembleias convocadas pelo Sinpro Minas de Belo Horizonte. A primeira será no dia 22 de novembro, sábado, às 10h, e a segunda, no dia 25 de novembro, terça-feira, às 18h30. As assembleias serão realizadas na sede do sindicato (rua Jaime Gomes, 198 – Floresta – BH).  No interior do estado, também vão ocorrer assembleias para a aprovação da pauta.. Acompanhe a divulgação das regionais.

 

 

 Preparação para a campanha reivindicatória 2015

 

O cenário da educação privada mudou substancialmente. Grandes escolas e conglomerados são uma realidade do mercado educacional. Hoje, grupos empresariais administram escolas com foco na bolsa de valores. Ter um grande número de alunos, que em alguns casos ultrapassa a casa dos milhões, passou a ser um fator de muita relevância.

 

As altas mensalidades pagas pelos alunos são justificadas pelos donos de escolas por reajustes que teoricamente seriam repassados à categoria. Na prática, as projeções de reajustes dos professores que constam nas planilhas das escolas não são repassados aos professores. Todo ano ficamos com as migalhas desse grande negócio lucrativo. 

Por outro lado, a dignidade dos professores é afrontada com baixos salários, aumento de tarefas e descumprimento dos direitos trabalhistas. As consequências são profissionais desmotivados, doentes e desrespeitados.

 

O que fazer diante de tudo isso?  A categoria já sabe. Com o sind icato à frente das lutas por melhores condições de trabalho e salário digno, os professores devem se unir, participar das assembleias e mobilizar os colegas para avançar nas conquistas reivindicadas. A mobilização da categoria dá o aval para que a negociação entre o sindicato dos professores e os de donos de escolas resulte num acordo com avanços para a educação de qualidade.

 

A campanha reivindicatória 2015 começa agora! Várias assembleias têm sido agendadas em todo o estado para a definição das pautas de reivindicações que serão entregues aos sindicatos patronais. Os professores sabem o seu valor e não fogem à luta, mesmo diante das pressões do patronal.

 

Vamos seguir em frente, e demonstrar que merecemos muito mais do que apenas um aumento real.

 

 

Principais reivindicações:

 

Jornada

Elevar o adicional extraclasse de 

20% para 1/3 

da jornada;

 

Carreira

Alterar o 

adicional de 

quinquênio 

para triênio;

 

Formação

Adicional de 10% 

para especialização, 15% para mestrado e 20% para doutorado;

 

Piso

Equiparar o piso da 

Educação Básica e unificar 

o piso da Educação Superior (BH/Interior)

 

Campanha reivindicatória passo a passo

 

1) Assembleias de professores definem a pauta de reivindicação.

 

2) O sindicato dos professores a entrega ao patronal. 

  

3) Comissões de negociação das partes se reúnem para debater a pauta. Os patrões querem sempre tirar ou dar menos e os professores almejam ganhar mais e serem valorizados.

  

4) As propostas negociadas são levadas para avaliação em assembleias. Se há muitos professores nas assembleias, os patrões recuam.

  

5) Quando a data-base da Convenção Coletiva de Trabalho termina, pode-se prorrogar por mais 30 dias. As datas-base são 1º de fevereiro e          1º de abril.

  

6) Não havendo acordo, pode-se pedir a intermediação da Justiça do Trabalho, que vai dar mais um prazo para as negociações ou instaurar o dissídio coletivo de trabalho, que irá a julgamento muito tempo depois, ou nem isso.

  

7) Por sua vez, em qualquer momento, diante de impasses, os professores podem decidir por paralisações ou greve, instrumento legal e legítimo, que ajuda a equilibrar a correlação de forças entre patrões e empregados.

  

8) O Sindicato investe as contribuições dos filiados em atividades de mobilização, comunicação e outras, para fazer com que os professores se empoderem e enfrentem a pressão dentro da escola. Por outro lado, os empresários do ensino investem seus recursos para impedir as conquistas da categoria. Querem aumentar seus lucros e o valor mercadológico das instituições de ensino com o aumento da produtividade dos professores.

  

9) Fechado o acordo entre as partes, estabelece-se os direitos negociados na Convenção Coletiva de Trabalho, que deve ser cumprida pelas escolas sob pena de multa.

  

10) A cada ano, as partes se reúnem para discutir novos índices de reajuste de salários e outras cláusulas que afetam as condições cotidianas de trabalho da categoria. Quando a categoria está mobilizada, o sindicato fica forte e há acúmulo de conquistas e valorização.

 

11) Portanto, a oportunidade de os professores melhorarem suas condições salariais e de trabalho acontece nesses momentos. É preciso coragem para lutar. Se deixarmos a chance passar, outra só na campanha seguinte.

 

 

Assembleias

 

 

22 de novembro de 2014

sábado – 10h

 

25 de novembro de 2014

terça – 18h30

 

Local:

Sinpro Minas (Rua Jaime Gomes, 198 – Floresta – BH/MG

 

 

“O que a vida 

quer da gente 

é coragem”

 

Guimarães Rosa

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha