Notícias

Carta aberta aos professores e professoras do Colégio Loyola

O Sinpro Minas reafirma o apoio e a defesa da autonomia dos professores do Colégio Loyola, frente ao cenário desafiador em que o nosso país se encontra. Estamos cientes do assédio que os docentes têm sofrido, inclusive de pessoas externas à comunidade escolar, por terem participado da greve geral, em 14 de junho, que mobilizou milhões de brasileiros em todo o Brasil em defesa da educação e contra a reforma da Previdência.

Não iremos aceitar tamanha ingerência nas decisões coletivas e soberanas dos professores. Trata-se de uma postura inadmissível, que objetiva criar uma atmosfera de perseguição e medo, totalmente inadequada para a manutenção de um ambiente profissional saudável. Contraria, inclusive, valores preconizados pela própria instituição de ensino, entre eles o da justiça socioambiental e os da formação cristã e para a cidadania.

Ao assediarem os professores, o que essas pessoas buscam é abafar as vozes dissonantes na sociedade, que são muitas e crescem a cada dia, à medida que o atual projeto de gestão do país se efetiva.

Essa insatisfação da sociedade, manifestada nas ruas, já resultou em recuo dos parlamentares, que aprovaram o texto-base da reforma da Previdência com algumas poucas alterações nas regras dos trabalhadores, de um modo geral, e de professores também.

No entanto, o projeto que permanece em tramitação no Congresso ainda representa enormes perdas para todos os brasileiros, ao reduzir o valor da aposentadoria em até 40%, dificultar o acesso ao sistema previdenciário e endurecer as regras para quem de fato precisa do benefício.

Por isso, as manifestações e paralisações vão continuar, e uma nova greve geral da educação está marcada para o dia 13 de agosto. Não há outro caminho senão o da pressão popular.

Não resta dúvida de que a luta de vocês está em plena consonância com os princípios da justiça social, da solidariedade e da defesa dos interesses de toda a coletividade.

A adesão à greve representou uma lição de cidadania para os milhares de estudantes da instituição de ensino. Afinal, sabemos bem que a boa educação não se limita a ensinar os conteúdos disciplinares. No entanto, o obscurantismo que prevalece em setores da sociedade quer fazer da escola privada um laboratório de práticas opressoras, destinadas a criar alunos pouco afeitos à vida democrática.

Mas enganam-se aqueles que acreditam que iremos nos calar frente às ameaças. Não descansaremos nem mediremos esforços para denunciar qualquer tipo de abuso e para resguardar os direitos dos professores. O Sinpro Minas está à disposição de vocês. Contem conosco!

É preciso estar atento e forte! Sigamos firmes e unidos, ninguém solta a mão de ninguém!

Diretoria Do Sinpro Minas

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha