Notícias

Categoria marca assembleia com paralisação das atividades nesta quinta (11/5)

6 de maio de 2023

Os professores e professoras das escolas particulares de Belo Horizonte e cidades de abrangência da CCT/MG (Convenção Coletiva de Trabalho) rejeitaram neste sábado (6) a proposta do Sinepe/MG (Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais) de reajuste salarial.

A categoria também aprovou o estado de greve – um indicativo ao patronal de que, a qualquer momento, pode-se deflagar greve – a partir de segunda (8) e assembleia permanente com paralisação das atividades no dia 11 (quinta-feira), com assembleia às 10 horas, no auditório da Associação Médica de Minas Gerais (Avenida João Pinheiro, 161, Centro de Belo Horizonte).

“Os professores estão indignados com o desrespeito com que estão sendo tratados”, afirmou a presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato. “Afinal, são três anos de desvalorização de nossa categoria, apesar dos aumentos constantes das mensalidades”.

A categoria, além de não ter aumento real, teve seu salário desvalorizado nos últimos anos. Os professores e professoras estão há anos sem ganho real. Em 2020, a reposição foi de 0% e, em 2021 e 2022, o reajuste não repôs nem a perda pela inflação. A defasagem salarial já se acumula em 20,01%.

Apesar da reivindicação dos trabalhadores ser de reparação das perdas pela inflação mais ganho real de 5% nos salários, o patronal ofereceu somente 4,36% de recomposição, dividido em duas vezes (abril e outubro). O índice ainda estaria condicionado à aceitação pela categoria de divisão da CCT e redução do adicional por tempo de serviço de 5% para 3%. Além disso, o Sinepe ainda exige o fim da isonomia salarial entre trabalhadores de uma mesma escola.

“Não vamos nos curvar ao desrespeito, os professores estão dispostos a garantir o que é deles por uma luta histórica e por valorização profissional e salarial”, diz Valéria. “O patronal vai na contramão do que está sendo discutido em âmbito nacional sobre direitos dos trabalhadores. Querem nos dividir e enfraquecer a categoria, mas não vão conseguir”.

Assembleia com paralisação das atividades
Data: Quinta-feira – 11 de maio | 10 horas
Local: Auditório da Associação Médica de Minas Gerais (Avenida João Pinheiro, 161, Centro de Belo Horizonte)
Pauta: negociação com patronal e deflagração de greve

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Opinião Sinpro Minas
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha