Notícias

Centrais lançam abaixo-assinado pela redução da jornada de trabalho

8 de fevereiro de 2008

Nesta segunda-feira (11), as centrais sindicais lançam um abaixo-assinado em defesa da redução da jornada de trabalho, sem alteração em salários e benefícios. Os atos de lançamento vão ocorrer em todo o país, dando continuidade à Campanha Nacional Unificada pela Redução da Jornada de Trabalho, iniciada pelas centrais em janeiro.

O objetivo, segundo os organizadores da campanha, é recolher um milhão de assinaturas e entregá-las ao Congresso Nacional, para pressionar os parlamentares a aprovarem a PEC 393/01 –de autoria do senador Inácio Arruda (PCdoB/CE)–, que trata do assunto.

Pela proposta das entidades, a jornada deve ser reduzida, inicialmente, de 44 para 40 horas semanais, o que geraria cerca de 2,2 milhões de empregos, segundo estudo elaborado pelo Dieese. “É claro que, para potencializar a geração de novos postos de trabalho, a redução da jornada de trabalho deve vir acompanhada de medidas como o fim das horas extras e uma nova regulamentação do banco de horas”, esclarece o Dieese.

Nesta segunda-feira, a principal manifestação da campanha ocorrerá na Praça Ramos de Azevedo, no Centro de São Paulo, a partir das 10 horas. No local, dirigentes sindicais de todo o país e militantes vão recolher assinaturas e distribuir panfletos explicativos. Também serão montados postos de coletas de assinaturas em diversos sindicatos e locais públicos por todo o Brasil.

“Vamos às ruas mobilizar todas as classes para transformar esse projeto em lei e unificar ainda mais os trabalhadores do Brasil”, ressalta o presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Wagner Gomes. O presidente do Sinpro Minas, Gilson Reis, e a diretora Celina Arêas também vão participar do ato na capital paulista. “Estudos apontam que a redução da jornada de trabalho é um importante instrumento de geração de empregos e distribuição de renda. Por isso, vamos pressionar o Congresso Nacional a votar a emenda que trata do assunto”, disse Celina Arêas.

Com VermelhoClique aqui para acessar o abaixo-assinado

 

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha