Notícias

Contee: O que 2018 espera de nós

É comum, a cada vez que um ano está no fim, que nos perguntemos o que esperamos do novo ciclo que começa. Traçamos planos sobre o que desejamos que os novos dias nos tragam, depositando na virada do calendário nossa esperança.

Não há nada de errado com esperança. É ela que, quando já exauridos das tantas batalhas dos últimos meses, rejuvenesce e nos traz de volta o fôlego que estávamos prestes a esquecer, como no poema de Quintana:

“Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso voo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança…
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA…”

No entanto, é importante, sobretudo no momento tenso pelo qual passamos, depois de um ano de aprofundamento do golpe — contra a democracia, contra o Estado democrático de direito, contra a liberdade, contra a classe trabalhadora, contra a educação — que invertamos o sujeito e objeto da pergunta. Que pensemos não exatamente no que esperamos de 2018, mas no que 2018 espera de nós.

E ele espera muita coisa.

Espera que continuemos mobilizados para derrotar a reforma da Previdência, prevista para ser colocada em votação logo em fevereiro, após o fim do recesso parlamentar.

Espera que enfrentemos a reforma trabalhista em todas as frentes, indo adiante com as ações contra as demissões em massa ocorridas no último mês de 2017 e também com a campanha de coleta de assinaturas em favor do Projeto de Lei de Iniciativa Popular que revoga a reforma.

Espera que estejamos unidos na campanha salarial de 2018, lutando para assegurar os direitos de nossas categorias.

Espera que nos empenhemos numa campanha nacional de sindicalização, mostrando aos trabalhadores e à sociedade que a valorização de quem trabalha começa por cada um e que é preciso fortalecer os sindicatos pela renovação das Convenções Coletivas de Trabalho sem retrocessos, pela continuidade das homologações nas entidades sindicais, por ganhos reais nos salários e por nenhum direito a menos.

Espera que sigamos denunciando a desprofissionalização do magistério, mantendo acesa nossa campanha “Apagar o professor é apagar o futuro” e levando-a para as ruas.

Espera que fortaleçamos ainda mais nosso combate histórico à mercantilização e à financeirização do ensino, que, além do ensino superior, se alastra agora pela educação básica. Essa é uma bandeira cara à Contee, uma luta na qual a Confederação é protagonista, e que em 2017 ganhou atenção internacional com a campanha “Educar, não lucrar”, lançada pela Internacional da Educação para a América Latina.

Espera que combatamos as tentativas de amordaçar o magistério, assegurando que uma de nossas grandes conquistas em 2017 — a liminar que suspendeu a Lei da Mordaça e Alagoas, em ação ajuizada pela Contee junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) — seja mantida e respeitada em todo o país.

Espera que realizemos, em abril, uma Conferência Nacional Popular de Educação (Conape)vitoriosa e participativa, tendo como meta garantir o aperfeiçoamento e a implementação do Plano Nacional de Educação (PNE), a implantação de um Sistema Nacional de Educação (SNE) que possibilite o fortalecimento da educação pública e a regulamentação do ensino privado.

Espera que estejamos atentos ao processo eleitoral difícil e aos novos golpes que podem ser desferidos e que precisamos combater.

A lista de batalhas é extensa e não acaba aqui. Será um ano intenso, que exigirá de nós força e galhardia. E também esperança, é claro: esperança de que, com nossa luta conjunta, podemos enfrentar os desafios e defender sempre, mesmo diante de todas as adversidades, os direitos dos trabalhadores, uma educação democrática, cidadã e inclusiva e uma sociedade mais justa, humana e fraterna.

Por Táscia Souza – Portal Contee

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha