Notícias

Contee publica nota de pesar pelo Museu Nacional: "não é tragédia, é crime"

O incêndio que destruiu na noite de ontem (2) o Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro, não é uma tragédia. É um projeto. Fósseis e artefatos sobrevivem a milhares, milhões de anos, mas não sobrevivem ao neoliberalismo. Não sobrevivem ao golpe.

Foi um incêndio criminoso. O crime é a Emenda Constitucional 95 e o congelamento de investimentos públicos por 20 anos. O crime é o maior museu da América Latina precisar sobreviver com apenas R$ 300 mil anuais nos últimos três anos, dois terços do que deveria ser repassado e muito menos do que recebe anualmente um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). O crime é o sucateamento das universidades públicas — entre as quais a UFRJ, responsável pelo Museu Nacional — visando à sua privatização. O crime é um governo que corta verbas da cultura e da educação.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino — Contee expressa seu profundo pesar e indignação por essa destruição. As chamas que consumiram o Museu Nacional neste domingo simbolizam também aquelas que têm reduzido a cinzas as políticas públicas e os direitos sociais no Brasil.

Brasília, 3 de setembro de 2018.

Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino — Contee

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha