Notícias

Fundeb permanente é aprovado por unanimidade no Senado

26 de agosto de 2020

Texto aprovado manteve na íntegra o relatório que havia sido aprovado na Câmara

O senado aprovou ontem (25) a PEC 26/2020, que torna permanente o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). O relator da matéria na Casa, senador Flávio Arns (Rede-PR), manteve o relatório aprovado na Câmara em julho, de autoria da deputada Professora Dorinha Seabra (DEM-TO). A PEC original (15/2015) foi apresentada em 7 de abril de 2015 pela então deputada federal Raquel Muniz (PSC-MG).

A proposta foi aprovada por unanimidade em primeiro e segundo turnos. Nenhuma emenda foi apresentada. Como se trata de uma emenda à Constituição, o texto será promulgado nesta quarta-feira (26) e não corre o risco de ser vetado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Construído com a participação da sociedade por meio de debates e mobilização de entidades como a Campanha Nacional pelo Direito à Educação, coalizão composta de diversas entidades ligadas à educação, como a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), o novo Fundeb foi concretizado em um texto conciliador. Ele é considerado um avanço para o financiamento da educação pública no país. Entre as conquistas, está a incorporação do Custo Aluno-Qualidade (CAQ), o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Sinaeb), o aumento dos atuais 10% para 23% da complementação da União, e a preservação do Salário-Educação.

O CAQ é um parâmetro do montante a ser investido a cada ano, por aluno, para garantir a melhoria da qualidade do ensino nas creches, pré-escolas e escolas de ensino fundamental e médio. Para isso, leva em consideração os custos de manutenção para todas as etapas da educação básica. O objetivo é garantir um padrão mínimo de qualidade, com oferta de infraestrutura, biblioteca, quadra, laboratório de ciências e acesso à internet, entre outros, tudo visando reduzir as desigualdades educacionais.

Segundo o Ministério da Educação, 31% das escolas não têm sequer acesso a água potável. Reconhecido pelo Conselho Nacional de Educação e adotado no Plano Nacional de Educação, o CAQ foi desenvolvido pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

Fundeb atual
O Fundeb atualmente em vigor, criado durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – conforme lembrou o senador Humberto Costa (PT-PE) –, perde a validade em 31 de dezembro. Se o novo não tivesse sido aprovado, 94,2% das matrículas da educação básica em todo o país estariam seriamente ameaçadas, conforme cálculos do Dieese.

O Nordeste seria a região mais prejudicada, uma vez que 98% dos municípios perderiam recursos. Na região Norte, 93% das cidades também deixariam de receber investimentos, seguindo-se o Centro-Oeste (57%), Sul (50%) e o Sudeste (56%).

Em votação histórica, os educadores Paulo Freire (1921-1997), Darcy Ribeiro (1922-1997) e Anísio Teixeira (1900-1971) foram homenageados por diversos senadores, como Paulo Paim (PT-RS), Rogério Carvalho (PT-SE), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Fabiano Contarato (Rede-ES).

Fonte: Rede Brasil AtualFoto: Agência Brasil

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha