Notícias

“Humanizar a Educação, Avançar nas Conquistas”: começa o 14º ConSinpro

25 de agosto de 2023

Com o tema “Humanizar a Educação, Avançar nas Conquistas”, teve início nesta sexta-feira (25) o 14º Congresso do Sindicato dos Professores e Professoras do Estado de Minas Gerais (ConSinpro). Cerca de 100 delegados e delegadas estiveram presentes na sede do Sindicato em Belo Horizonte para a abertura da atividade.

Para a presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato, o Congresso acontece numa conjuntura de esperança: “Um momento de muitas perspectivas para a reconstrução de nosso país, que foi destruído por um projeto politicamente autoritário e economicamente voltado para a aplicação de um ultraliberalismo entreguista, antidemocrático e antidesenvolvimentista”.

Valéria relembrou os desafios pelos quais a categoria docente passou nos últimos quatro anos, como a pandemia, os reflexos da Reforma Trabalhista e o constante ataque ao movimento sindical. “Esse é um congresso de balanço mas também de propostas de lutas para enfrentamento dessa realidade que está colocada, não só para nossa categoria, mas para todo o povo brasileiro”, afirmou.

Palestra Magna

A abertura contou com a palestra magna “Os sindicatos frente à nova morfologia do trabalho e a fragmentação da classe trabalhadora”, com o Prof. Dr. Jorge Luiz Souto Maior. Ele é professor livre-docente de Direito do Trabalho da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) e coordenador do Grupo de Pesquisa Trabalho e Capital (GPTC).

Para Souto Maior, a fragmentação jurídica não pode ser o modo do movimento sindical pensar a classe trabalhadora ou sua atuação coletiva. “Aquilo que hoje em dia se apresenta como impeditivo de uma ação mais contundente da classe trabalhadora, não é nada além de uma estratégia do capital para produzir exatamente esse efeito.”

O professor ainda falou sobre a necessidade de uma atuação sindical que vá além da percepção de categoria. “É preciso que os sindicatos sejam acolhedores nas demandas e angústias de quem está desempregado, de quem está na informalidade, de quem está precarizado, ainda mais do ponto de vista da terceirização e do trabalho análogo à escravidão.”

Lançamento

O primeiro dia do Congresso terminou com o lançamento do livro “A função política do sindicato no capitalismo apocalíptico”, de Thaís Cláudia D’Afonseca, vice-presidenta do Sinpro Minas, doutora em Direito Privado e mestre em Direito do Trabalho.

O livro, que é tese de doutorado defendida pela autora, apresenta uma análise, sob a perspectiva da classe trabalhadora, da função política do sindicato no atual estágio do capitalismo. 

Participaram do debate o professor da PUC Minas e Juiz do Trabalho, Cléber Lúcio de Almeida, a professora da UFMG e presidenta do Sindicato dos Professores de Universidades Federais de Belo Horizonte e Montes Claros (APUBH), Maria Rosaria Barbato, e pela pós-doutora em Direito pela Universidad Nacional de Córdoba (ARG) e professora da PUC Minas, Wânia Guimarães Rabêllo de Almeida.

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha