Notícias

Mais de 73% das publicações científicas do País são de instituições públicas

29 de novembro de 2019

Cerca de 90% das publicações científicas do País são produzidas em 86 instituições, dessas, e apenas 1,8% são originárias de universidades privadas. Mais de 73% provêm de universidades federais e estaduais. “A ciência no Brasil é, majoritariamente, realizada em estabelecimentos de ensino superior, principalmente públicos”, atestam Concepta McManus, professora da UnB, Abílio Afonso Baeta Neves, professor da PUCRS e ex-presidente da Capes, Andrea Maranhão, professora da UnB, e José Alexandre Diniz Filho, professor da UFG, em artigo que traz um panorama da ciência produzida no Brasil.

Publicado hoje, pelo Jornal da Ciência, o artigo “Ciência no Brasil: alguns dados” mostra que, mesmo com crise, a pesquisa produzida nas instituições brasileiras, nas mais diversas áreas, continua tendo impacto e proeminência mundial. A análise dá como exemplo o aumento verificado no Índice de Citação Ponderada de Campo (FWCI), de 0,78, em 2000, para 0,90, em 2018. O maior FWCI foi registrado há três anos, em 2016: 0,95 – valor pouco abaixo da média mundial. “Importante lembrar que, nos últimos quatro anos, a comunidade científica enfrentou severas restrições financeiras e, para ser altamente citado, é necessário publicar muitas vezes em periódicos de acesso aberto e de alto impacto, o que é uma limitação nas atuais restrições orçamentárias”, destacam os autores.

Entre 2010 e 2018, o Brasil teve um aumento de 52% no número de cursos de pós-graduação ofertados, a grande parte dessa expansão se deu no Norte, Nordeste e no Centro-Oeste. Chegamos hoje uma média de 60 mil mestres e 21 mil doutores que se formam todos os anos no País. “Não se pode esperar que essas intuições, recém-integradas ao sistema de pós-graduação, produzam a mesma ciência de qualidade que as universidades e instituições de pesquisa mais antigas e estabelecidas em outras regiões do país”, ponderam os autores.

Mesmo assim, conforme demonstram no artigo, dados do InCites® indicam melhorias contínuas na quantidade e na qualidade da pesquisa que as instituições públicas do ensino superior nessas regiões têm desenvolvido nos últimos 10 anos. Duas universidades federais do nordeste, da Paraíba (UFPB) e Rio Grande do Norte (UFRN) figuram entre as dez principais instituições brasileiras no Índice Nature.

O artigo também aponta as diferenças de impactos entre as áreas de conhecimento: o impacto das Ciências Humanas e das Ciências Sociais pode ser menos óbvio do que em outras áreas da pesquisa, pois essas áreas estão envolvidas na preservação crítica, análise e forma do patrimônio cultural e na maneira como ele é usado. Alguns desses impactos são evidentes em estudos no Brasil, como os de identidade social e coesão, onde a pesquisa analisa áreas como indígenas, comunidades ou setores específicos da sociedade e entende o que afeta a maneira como eles funcionam. As redes sociais, assim como o apoio às indústrias criativas e culturais, também são evidentes, além de melhorar o debate público que afeta a cultura, a sociedade e as políticas. A interação com o governo, bem como com a mídia pública (jornais, revistas, blogs, TV etc.) em todos os níveis também informa sobre desempenho, prática profissional e políticas públicas, impactando a economia e o governo.

“As universidades, em geral, estão educando a próxima geração de cientistas, engenheiros, especialistas em políticas e profissionais de saúde. Essas são as pessoas que um dia resolverão os maiores desafios de energia limpa e sustentabilidade global, saúde e bem-estar humano, segurança nacional e oportunidade econômica”, ressaltam.

Confira o artigo neste link.

Fonte: Jornal da Ciência

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Opinião Sinpro Minas
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha