Notícias

Marcha histórica: 150 mil protestam contra reformas e por Diretas já

Cerca de 150 mil trabalhadores e trabalhadoras de todo Brasil ocuparam a Esplanada dos Ministérios em Brasília, nesta quarta (24), contra as reformas trabalhista e previdenciária, pelo fim do governo Temer e por eleições diretas.

“A adesão à convocação das centrais superou todas as expectativas e revelou a enérgica rejeição do povo brasileiro à agenda reacionária do governo. Foi uma marcha histórica em defesa dos direitos sociais e da democracia”, afirmou o presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo.

Ele destacou que a 9ª Marcha da Classe Trabalhadora, organizada de forma unificada pelas centrais sindicais, foi a maior manifestação já vista em Brasília e reflete a capacidade de luta dos trabalhadores brasileiros e a insatisfação da sociedade com o cenário político atual.
#9ªMarchaDaClasseTrabalhadora
“A luta continua. As centrais estão unidas e devem convocar uma nova greve geral para barrar o retrocesso neoliberal. As classes dominantes manobram para aprovar as mudanças e substituir Temer através de eleições indiretas que manteriam à frente do governo um político comprometido com o retrocesso. Não vamos aceitar isto. É preciso devolver ao povo o direito soberano de decidir o destino do Brasil”, ressaltou Adilson Araújo.

Truculência e repressão
Os organizadores da marcha chamaram a atenção para a ação de infiltrados na manifestação e criticaram a forte repressão policial e das Forças Armadas, que deixou um saldo de dezenas de trabalhadores feridos.  “Provocadores a soldo da direita e a PM agiram para dispersar a multidão, lançando bombas de gás lacrimogênio sobre os manifestantes, e o presidente ilegítimo baixou um decreto autorizando as Forças Armadas a reprimir manifestações, mas o movimento sindical e a classe trabalhadores não serão intimidados”, destacou Adilson Araújo.

“Infelizmente, a mídia brasileira, mais uma vez, enfocou somente a truculência e a repressão policial e deixou de lado o motivo que levou esse mar de gente a Brasília, que foi a luta contra o desmonte da Previdência e dos direitos trabalhistas e pelas eleições diretas”, disse a presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato, que participou do ato na capital federal.

Com informações da CTB

Imagens da 9ª Marcha da Classe Trabalhadora e da repressão policial
Fotos: CTB

#9ªMarchaDaClasseTrabalhadora

#9ªMarchaDaClasseTrabalhadora

#9ªMarchaDaClasseTrabalhadora

#9ªMarchaDaClasseTrabalhadora

#9ªMarchaDaClasseTrabalhadora

#9ªMarchaDaClasseTrabalhadora

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha