Notícias

Negociação coletiva no Sudeste Professores querem ganho real

22 de março de 2012

No dia 21 de março, foi realizada na Sede Regional do Sinpro Minas em Barbacena, a sexta reunião de negociação coletiva com o Sindicato Patronal (Sinepe Sudeste). Na oportunidade, foram discutidas as inúmeras propostas de alteração na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) apresentadas pelo Sinepe Sudeste.

 

Na avaliação do Sinpro Minas, as mudanças sugeridas alteram várias cláusulas da CCT colocando em risco direitos históricos da categoria. Propostas como segmentação da Educação Básica, por exemplo, que vão contra um dos princípios políticos defendidos pelo sindicato que é o de unificação de todos os pisos salariais da Educação Básica. É só um exemplo do que foi apresentado pelo sindicato patronal.

 

Considerando que temos avançado muito pouco nesta discussão e que nossa data-base já ficou para trás, ou seja, 01/02/2012. Os diretores do Sinpro Minas que fazem parte da Comissão de Negociação decidiram apresentar a seguinte “contra-proposta” no sentido de dar um encaminhamento definitivo às negociações, qual seja:

 

(1) Renovação da atual CCT por dois anos;

 

(2) Reajuste salarial de 10% retroativo a 01/02/2012 (INPC [5,63%] + perdas salarias [1,43%] + ganho real);

 

(3) Confecção de calendário de reuniões para negociação da contra-proposta patronal ao longo de 2012 com possibilidade de aditamento à CCT caso venham chegar a um acordo em torno dos pontos apresentados.

 

Os diretores do Sinepe Sudeste mostraram-se receptivos à proposta de encaminhamento do Sinpro Minas e assumiram o compromisso de defender tal proposta em assembleia patronal no próximo dia 27 de março. A data-base está garantida até o dia 13 de abril. Haverá nova reunião de negociação no próximo dia 02 de abril na Sede Regional do Sinpro Minas em Barbacena.

 

O Sinpro Minas irá realizar assembleias nas principais cidades abrangidas pelas sedes regionais envolvidas neste processo de negociação (Barbacena – São João Del Rei e Santos Dumont; Cataguases – Leopoldina, Muriaé, Além Paraíba; Varginha – Lavras; Pouso Alegre – São Lourenço e Caxambu; Ponte Nova – Ubá e Visconde do Rio Branco).

 

Para a diretoria do Sinpro Minas, os professores precisam se manter informados e mobilizados para não permitir que os direitos históricos sejam retirados e para garantir  que os salários serão reajustados com a recomposição da inflação mais ganho real.

 

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha