Notícias

Elas por Elas: o protagonismo das mulheres em destaque

27 de junho de 2016

Uma noite de histórias, alegrias, reconhecimento e empoderamento feminino! Assim foi o lançamento da 9ª edição da revista Elas por Elas (acesse) e entrega da Comenda Clara Zetkin, no dia 24 de junho de 2016, no Sindicato dos Professores, em Belo Horizonte.

O evento apresentou a edição anual da revista e homenageou com a Comenda 22 mulheres (veja a lista) que contribuem para dar visibilidade, mobilizar e fortalecer a luta pela igualdade de gênero e a emancipação feminina. A atividade teve transmissão ao vivo pela rádio Sinpro Minas e pela internet, e o vídeo na íntegra está disponível no youtube.

ND7_0035 A presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato, ressaltou a importância da revista em um momento em que o machismo se  manifesta na política, contra a presidenta eleita Dilma Rousseff e também contra todas as políticas pela igualdade de gênero. Em seu discurso de abertura, ela falou sobre as violências vividas diariamente pelas mulheres como o assédio e a dupla jornada de trabalho e reafirmou o compromisso do sindicato em seguir na luta contra qualquer retrocesso nas conquistas das mulheres, assim como de todos os trabalhadores.

Ventania feminista

A professora Lavínia Rosa, representante do Conselho Editorial da revista Elas por ElasND7_0070 (na foto, junto à equipe da revista), falou sobre a necessidade de se fortalecer a luta pela igualdade de gênero na atualidade. Ela destacou a importância do Sinpro ter uma presidenta mulher, a terceira em mais de 80 anos de história. “Existe uma ventania feminista por aí e isso significa transformação”, afirmou.

Como um ato de solidariedade, os/as participantes do evento doaram pacotes de absorventes, destinados às mulheres em privação de liberdade, um dos temas retratados na revista. Maria Teresa dos Santos, presidente da Associação de Amigos e Familiares de Pessoas em Privação de Liberdade, e uma das homenageadas com a medalha, disse que não possui estudo nenhum, não passou por universidade, mas que que assume o compromisso de seguir lutando por uma sociedade sem grades.

ND7_0059 Os desafios e a superação de mulheres com deficiência em nossa sociedade foi uma das pautas da revista. Olívia Souza Silva, uma das entrevistadas, que perdeu progressivamente a visão, se emocionou ao receber uma versão em Braille (sistema de leitura com o tato) da matéria em que participou. Mas a emoção não foi vivida apenas por Olívia. A matéria em Braille foi entregue pelas mãos do pequeno Mateus José, de 5 anos, que tem a síndrome de Down e é filho da jornalista Cecília Alvim, que escreveu a reportagem. Ela fez uma reflexão sobre a necessidade da promoção de políticas inclusivas e ações de acessibilidade para as pessoas com deficiência, nas escolas e em diferentes espaços, para a construção de uma sociedade que realmente respeite e valorize a diversidade.

Uma realidade melhor é um compromisso também com as vidas que ainda estão por vir. Como afirmou a enfermeira homenageada Kleide Ventura, “para mudar o mundo, precisamos mudar a forma de nascer”. Destacou que seu papel como enfermeira obstetra é fortalecer as mulheres no momento do parto e denunciou o estímulo às cesarianas no país.

A defensora pública Júnia Roman, também homenageada com a medalha Clara Zetkin, levantou uma reflexão sobre a importância de meios alternativos para ajudar na construção do empoderamento feminino. “Eu gosto de dar entrevista para o Sinpro porque as suas mídias são honestas. Na grande mídia, temos medo de como será usada nossa fala. A revista é fantástica”, elogiou.

A bonequeira Conceição Rosière destacou o papel da arte e da cultura na construção de uma nova sociedade e citou Bertolt Brecht, em homenagem a todas as mulheres presentes: “Há os que lutam um dia e são bons. Há outros que lutam um ano e são melhores. Há os que lutam muitos anos e são muito bons. Mas há os que lutam toda a vida e estes são imprescindíveis.”

Além de outros discursos que saíram do coração, abrindo as páginas de vidas repletas de desafios, mas também de poesias e coragem, Libernina, jovem trans de 21 anos, falou da emoção em se ver na capa da revista e dedicou essa alegria a todas as pessoas trans, que enfrentam inúmeros preconceitos na vida. Deixou também a reflexão sobre a necessidade do empoderamento feminino e do reconhecimento da diversidade em ser mulher.

Em uma sociedade marcada pelo poder patriarcal, o evento anual realizado pelo Sinpro Minas se constrói como um espaço de falas femininas e feministas com diversidade na voz, idade e formação, consolidando a resistência das mulheres por uma sociedade sem opressões.

Leia a revista Elas por Elas 2016.

Veja a lista das homenageadas com a Comenda Clara Zetkin 2016.

 Confira as fotos na galeria 

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Opinião Sinpro Minas
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha