Notícias

Presidente do Sinpro Minas lança livro nesta quinta (7/11)

4 de novembro de 2013

O livro Desvendando Minas: descaminhos do projeto
neoliberal é uma obra de intervenção. Foi pensado para provocar reflexão e ação
em seus leitores. A trajetória do tempo recente é percorrida dentro de
“nuvens”; por isso os efeitos da turbulência são permanentes – partir do
presente tirando as vendas do passado, lançando-se assim a abrir caminhos para
o futuro.

No plano teórico, o ponto de
vista da crítica, não deve hoje ter limites; não deve aceitar barreiras; deve
saltar para frente, superando e negando todas as provas factuais que lhe serão
continuamente exigidas pela covardia intelectual.

Para o pensamento crítico em
Minas Gerais, voltou o momento da descoberta. O tempo da repetição, da
banalidade erigida em discurso sistemático, está definitivamente terminado.

Aquilo de que precisamos de novo,
desde o princípio, é uma férrea lógica que tenha lado, uma coragem empenhada
para si e uma capacidade de apontar caminhos para os outros, pelo e para além
do seu aparato de crítica.

O conjunto de textos que se
agrupam cada um vão desmontando, “abrindo caminho com a machadinha afiada da
razão”, as Minas Gerais do agora, sem opacidades e encobrimentos das
possibilidades do vislumbre de um outro caminho, que só pode ser se guiado por
outra via e de outra modernidade.

Das salas de aula ao chão das
fábricas, do sistema prisional às ruas da cidade capital, temos em cada texto
deste livro um fragmento que vai estabelecendo a construção de uma caixa de
ferramentas necessária para forçar as frestas do discurso e consenso que se
assentou na última década, para tanto, o necessário “dar combate à mistificação
em sua própria casa”, é a linha de conduta dos textos.

Segue-se o aprofundar da crítica
dos dispositivos que foram montados para este consenso: gestão, eficiência,
governo técnico, resultados; demolir esta narrativa para dela extrair
categorias, sua origem e justificação e a luz das contradições expostas,
apresentá-la a disputa dos rumos que correspondam às exigências do nosso tempo
– liquidação progressiva, mas rigorosa, do poder de escolhas e de domínio sobre
a vida da sociedade por parte das camadas dominantes, o que só será real se
determinar a afirmação em crescendo do poder de escolha e da hegemonia de um
poder público democrático, isto é, fundado no consenso e no apoio nas grandes
massas trabalhadoras e populares.

Pensar a crítica e a superação
tem sido tarefa inglória. Até a universidade e a intelectualidade se
estabeleceram sobre novos patamares, de horizonte curto e conservador, limitado
à ambiência do bom-tom acadêmico que reproduz o mundo exatamente como ele está.
Era preciso captar a teoria política crítica no patamar mais alto no qual foi
abandonada nas últimas décadas, para, a partir dela, avançar. É necessário
falar o inesperado e o angustiante num mundo no qual a angústia existe e é cada
vez maior, mas não sabe o que falar nem tem voz.

Minas Gerais precisa de um novo
rumo, de uma ruptura com a atual orientação dominante, de um projeto de
mudanças que seja capaz de promover o estabelecimento de um novo papel do
Estado, capacitando-o para exercer uma intervenção reestruturadora, abrangente
e continuada.

Podemos inaugurar esse novo
período; se nós podemos, logo devemos.

Sérgio Danilo Miranda Rocha -Secretário Geral da Fundação Maurício Grabois (Seção
Minas Gerais)

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Opinião Sinpro Minas
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha