Notícias

Pressão social derruba recurso e PNE segue direto para o Senado

6 de setembro de 2012

O ano 2012 tem sido de grandes conquistas para a sociedade brasileira e as entidades nacionais de educação. A sanção da Lei das Cotas, a aprovação na Comissão Especial da Câmara dos Deputados da destinação de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação, dentro do Projeto de Lei 8035/2010 que cria o novo Plano Nacional de Educação, e agora a derrubada do recurso 162/2012, que adiava a tramitação do referido PL – levando a discussão ao Plenário.

A derrubada do recurso se deu após intensa mobilização social, que assinou Petição Pública contra a medida e participou de twitaço e e-mailaço solicitando aos Deputados, que haviam assinado o recurso, a retirarem suas assinaturas, em requerimento coletivo. Na noite desta terça-feira, 04/09, o movimento reuniu 49 adesões e com isso derrubou o recurso.

Para a Secretária de Assuntos Educacionais da CONTEE, Adércia Hostin, prevalece “a sensação alívio pelo dever cumprido”. De acordo com a dirigente, é preciso destacar que todo o processo de luta em torno do novo PNE teve grande consistência e embasamento de dados técnicos que sustentam a Meta 20, que estipula a aplicação de 10% do PIB para a educação em até 10 anos.

Não há mais prazo para um novo recurso e agora o Projeto de Lei segue para apreciação no Senado Federal. O tema só voltará à Câmara se for modificado no Senado. Segundo Adercia, “é preciso continuarmos organizados e mantermos a pressão social para a batalha, que continua agora no Senado, com a mesma responsabilidade. Vamos travar uma luta coerente para avançarmos e transformarmos a educação em nosso País”.

O Coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, prevê que a luta no Senado Federal será difícil, pelo caráter conservador da Casa. Segundo ele, “o principal foco deve ser o debate sobre as fontes de recurso para o Plano”. Cara ressalta que a questão das fontes de financiamento da educação foi tratada em diversas audiências, quando da tramitação do Projeto na Comissão Especial, apontando opções viáveis para a manutenção da meta de 10% do PIB para o setor. “Temos recursos para aplicarmos até 15% do PIB na educação”, afirma.

O prazo de tramitação do Projeto no Senado Federal deverá ser divulgado nos próximos dias.

Fonte: Contee

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha