Notícias

Professores/as da região Sudeste de Minas iniciam greve

24 de fevereiro de 2022

Os professores e professoras da região Sudeste de Minas Gerais começaram ontem (23/2) uma greve por tempo indeterminado. Foram a intransigência e a ganância do sindicato dos donos de escolas (Sinepe Sudeste) que levaram a categoria à greve. Esses empregadores se recusam, há mais de dois anos, a assinar a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), que é o contrato da categoria dos/as professores/as.

A diretoria do Sinpro Minas, junto com professores e professoras da região, e com apoio do movimento estudantil, fez inúmeras panfletagens nas portas das escolas para informar e convocar a todos/as para a participação no movimento grevista.

Arbitrariamente impedidos de dialogar na sala dos professores de algumas escolas, o Sinpro Minas utilizou carro de som, com falas da presidenta do sindicato, Valéria Morato, mobilizando e informando a comunidade escolar e a sociedade em geral sobre a situação dramática dos/as docentes da região que, conforme dito e repetido, estão há dois anos sem assinatura do contrato coletivo – CCT.

Têm ocorrido várias visitas às escolas, nos horários de entrada, intervalo e saída das aulas, organizadas e realizadas pelo Sinpro Minas. O objetivo é conversar com professores e professoras. A categoria também entende ser inaceitável a tentativa do Sinepe de retirar e precarizar direitos históricos dos professores e professoras que, com seu trabalho, educam alunos/as e valorizam as escolas.

A diretoria do Sinpro Minas também se reuniu com diretores e proprietários de escolas, explicando a situação e buscando sensibilizar algumas escolas que cumprem a CCT, sugerindo gestões junto ao sindicato patronal, visando a assinatura da CCT.

Até o momento, o sindicato patronal empurrou a categoria para a greve. Tentam acabar com nossas férias coletivas e dividi-las em janeiro e julho; querem reduzir o adicional por tempo de serviço de 5% para 3%, além de alterar os critérios de distribuição de bolsas de estudos, o que significará perda de benefício e um enorme prejuízo para a categoria. E ainda não aceitam sequer reajustar os salários, mesmo tendo aumentado as mensalidades. Tudo isso levou a categoria a deflagrar a greve.

“Os professores e professoras da região sudeste contam com todo nosso apoio”, afirmou a presidenta do Sinpro Minas e da CTB Minas, Valéria Morato.

Nossa União, nossos direitos!

Sinpro Minas, Sindicato dos professores do Estado de Minas Gerais!

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Opinião Sinpro Minas
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha