Notícias

Professores de BH e região decidem manter a greve

11 de setembro de 2023

Em assembleia lotada, nesta segunda-feira (11/9), professores de escolas particulares de Belo Horizonte e região (cidades de abrangência da CCT/MG) decidiram permanecer em greve por tempo indeterminado, até que o sindicato patronal recue na tentativa de retirar direitos da categoria.

Está agendada para esta terça-feira (12/9), às 14 horas, uma Aula Pública com o tema “Direito de greve”, na Praça da Liberdade.

A categoria também vai participar, nesta quarta (13/9), da audiência pública convocada pela Comissão do Trabalho da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, às 10 horas, no auditório da Casa, para discutir o assunto, e às 14 horas, de ato na porta do Tribunal Regional do Trabalho (Avenida Getúlio Vargas, 225, Funcionários), com o objetivo de pedir urgência na marcação da audiência de mediação do dissídio de greve.

Em seguida, às 17 horas, está marcada a assembleia da categoria, no pátio da ALMG (Rua Rodrigues Caldas, 30, Santo Agostinho).

Mais de mil professores de mais de 40 escolas participaram da assembleia desta segunda-feira.

Em uma postura de desrespeito à categoria e de desvalorização da profissão docente, os donos de escolas mantiveram a proposta de alterar de forma prejudicial cláusulas históricas da categoria, como o adicional por tempo de serviço, a isonomia salarial e as férias coletivas. Os docentes reafirmaram que não aceitarão retirada de direitos nem a alteração de conquistas históricas e voltaram a reivindicar a manutenção das cláusulas previstas na Convenção Coletiva de 2019, anterior às mudanças emergenciais aprovadas em função da pandemia.

“A categoria mais uma vez está de parabéns. Demonstrou força, união e coragem. Enfrentou o assédio nas instituições de ensino e lotou novamente esta assembleia, em uma nítida demonstração de indignação com a postura dos donos de escolas. Vamos resistir, ampliar a mobilização e exigir respeito e dignidade profissional. Não aceitaremos retrocesso, nenhum direito a menos”, ressaltou a presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato.

Durante a assembleia, pais e estudantes manifestaram-se a favor das reivindicações dos professores, por entenderem que a luta deles por melhores condições de trabalho é também pela qualidade do ensino. “Tenho conversado bastante com outros grêmios estudantis. Professores, estamos com vocês! Esta luta é nossa também, faremos tudo que estiver ao nosso alcance para estar ao lado de vocês”, afirmou Frederico Fisher, estudante do Colégio Magnum.

“Muitas vezes as escolas usam o discurso do amor, mas se esquecem de que educação é trabalho. É nenhum direito a menos mesmo. Contem com a gente”, disse uma das mães presentes na assembleia, que participa de um grupo de pais criado para apoiar a greve dos professores. Eles têm divulgado em suas redes sociais mensagens defendendo as reivindicações da categoria. “A luta deles é a nossa luta. Chega. Professores merecem respeito”.

COMENTÁRIO

13 respostas

  1. Estou com os professores!!! Pois a educação é o berço do amanhã! Chega de explorar a saúde e educação! Pagamos um fortuna de mensalidade e eles querendo sugar dos nossos professores!!! Absurdo!!!

  2. Meus filhos e nossa família estamos com vcs, Professores! NENHUM DIREITO A MENOS! Pela educação de qualidade! Abaixo o sucateamento da educação privada!

  3. Professores, saibam que vocês não estão sozinhos nessa luta!!! Há uma rede de famílias apoiando a greve e me orgulho de fazer parte dela!!! Pra cima deles!!! Não passarão!!! Nenhum direito a menos!!!

  4. Todo meu apoio aos professores. Amanhã estarei em frente ao TRT para engajar mais apoio a esse movimento. Professor merece respeito e dignidade. Força nessa luta!

  5. Todo o nosso apoio aos professores e professoras! Desejo força e sabedoria para resistir a tanto abuso! Tenham certeza que vocês são estão no caminho certo… lutam com amor, tem uma missão nobre, tem a chance de trabalhar com jovens e crianças …. ou seja, ainda que a compensação financeira não seja justa por parte da sociedade atual, acredito que a luta que vocês estão travando agora e que está sendo vista pelos estudantes e pelas famílias, ajudará a aumentar a consciência da população sobre a necessidade de melhoria das condições de trabalho dos professores daqui pra frente. O movimento das famílias e alunos ainda não atingiu o nível necessário….mas a semente está sendo plantada! Então esse movimento de empoderamento dos professores, estudantes e famílias em prol de valorização da educação, seja ela pública ou privada, não pode parar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha