Notícias

Professores exigem planos de carreira que valorizem categoria

27 de setembro de 2011

Reuniões serão em 30 de setembro e 1º de outubro

Os professores das instituições de ensino superior privadas do Triângulo Mineiro se reúnem em Uberlândia e Uberaba para discutir questões relativas ao plano de carreira e de cargos e salários da categoria.

A Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) em vigor, assinada em setembro de 2010, prevê que as escolas de ensino superior da região que demonstrassem interesse teriam de apresentar propostas para serem discutidas e aprovadas até 31 de julho deste ano.

Das 17 instituições que o fizeram, 13 protocolaram seus planos, em 29 de julho – uma sexta-feira, dois dias antes do término do prazo. Em função disso, o sindicato enviou um ofício às escolas no qual comunicou a ausência de tempo suficiente para fazer um estudo criterioso das propostas e discuti-las com a categoria.

Uma análise feita por comissão criada pelo sindicato constatou que todos os planos apresentados precarizam as condições de trabalho dos professores e apresentam pontos que contrariam as diretrizes da CCT. Entre eles estão significativas reduções salariais, a falta de critérios claros para avaliação e progressão, a indefinição na proporcionalidade de mestres, doutores e no pagamento do adicional extraclasse, entre outros. 

Em 12 de setembro, o Sinpro Minas enviou outro ofício às escolas, em que detalha os problemas existentes e se coloca à disposição para reuniões. Até o momento, não houve retorno de nenhuma delas.

Extraclasse é 20%Todas as instituições de ensino superior da região devem pagar os 20% do adicional extraclasse, e o Sinpro Minas vai ajuizar ação coletiva para exigir o cumprimento desse direito.   

O sindicato ressalta que, ao contrário do que foi divulgado por algumas escolas, nenhum acordo será aprovado sem submetê-lo à apreciação dos professores. Reafirma também que não aprovará propostas que precarizem as condições de trabalho dos docentes do Triângulo Mineiro, região onde os donos de escolas já pagam o pior piso salarial do estado.

Na avaliação do Sinpro Minas, os planos apresentados têm o principal objetivo de diminuir custos, por meio da redução da remuneração dos docentes. O Sinpro Minas destaca ainda que a participação de todos é fundamental para pressionar os donos de escolas a aprovarem planos que realmente valorizem a categoria.

Participe e fortaleça a luta por melhores salários e condições de trabalho!

Reunião de professores da rede privada ensino superior

Uberaba30 de setembro – sexta – 17hRegional do Sinpro Minas – Uberaba(Rua Alfem Paixão, 105 – Mercês) 

Uberlândia1º de outubro – Sábado – 14h Regional do Sinpro Minas – Uberlândia(Rua Olegário Maciel, 1212 – Centro)

Pauta:Esclarecimentos sobre os planos de carreira/cargos e salários e a posição do Sinpro Minas

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha