Notícias

Professores voltam a recusar proposta patronal e decidem intensificar mobilização

14 de abril de 2012

Em assembleia neste sábado (14/4), professores de escolas particulares de Belo Horizonte e região metropolitana voltaram a recusar por unanimidade a proposta patronal (Sinep-MG) de reajuste de 7% e a defender a pauta de reivindicação da categoria.

Os docentes reivindicam reajuste salarial de 12%, regulamentação da educação a distância (EAD), equiparação dos pisos da educação infantil ao do ensino médio e medidas contra a violência no ambiente escolar.

A categoria também decidiu intensificar a mobilização ao longo desta semana, para preparar uma paralisação das atividades, caso não haja avanço nas negociações. Nova assembleia foi marcada para o próximo sábado (21/4), às 9 horas, no auditório do Sinpro Minas (Rua Jaime Gomes, 198 – Floresta – BH), para avaliar o rumo da campanha reivindicatória.

  • CLIQUE AQUI E ENVIE ESTA NOTÍCIA PARA UM COLEGA. VAMOS MOBILIZAR A CATEGORIA! 

“Nossa campanha reivindicatória vem ganhando força. Essa assembleia de hoje demonstra isso”, disse o presidente do Sinpro Minas, Gilson Reis, após destacar que o momento é favorável para que os professores conquistem melhores salários e condições de trabalho.

“Temos visto uma forte expansão do setor privado de educação em todo o país, desde o ensino básico ao superior. Além disso, as mensalidades foram reajustadas acima da inflação. Aqui em Belo Horizonte, o aumento foi em torno de 12%”, afirmou (clique aqui e leia notícia sobre aumento das mensalidades). 

“Nossa reivindicação econômica era de 14%. Mas, na assembleia anterior, fizemos uma contraproposta de 12%, desde que discutíssemos itens pendentes da campanha do ano passado, como a regulamentação da educação a distância e a equiparação dos pisos da educação infantil. No entanto, os donos de escolas não demonstraram interesse em dialogar acerca desses pontos nem ofereceram reajuste maior que 7%, mantendo a postura intransigente nas negociações. É algo inaceitável diante da conjuntura atual”, criticou Gilson Reis, presidente do Sinpro Minas.

Ele lembrou que, no cenário macroeconômico, o Banco Central e o governo federal trabalham com uma projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de cerca de 5%. “Ou seja, o país vai continuar a gerar empregos e a distribuir renda, movimentando o mercado interno. Há um processo virtuoso na economia que cria condições para avanços, de forma que não há razões para o patronal se recusar a atender nossas demandas”, ressaltou.

O presidente do Sinpro Minas também denunciou a tentativa dos donos de escolas de enfraquecer a mobilização, ao agendarem aulas ou reuniões no mesmo dia e horário da assembleia e ao impedirem, ao longo da semana, que diretores do sindicato entrem nas instituições de ensino para convocar a categoria. “Não permitiremos quaisquer manobras com o objetivo de nos desmobilizar e denunciaremos aquelas instituições que as praticarem. Mais uma vez, vamos mostrar que temos força e exigimos valorização e respeito à nossa dignidade”, afirmou. 

  • Clique aqui e confira momentos da campanha reivindicatória do ano passado.
  • Clique aqui e reveja imagens de greve e mobilização dos professores da rede privada de ensino.

Durante a assembleia, os docentes reafirmaram a importância da mobilização para garantir avanços. “Temos de ampliar o coro dos descontentes”, defendeu um professor. “Não estamos reivindicando nada absurdo. Há toda uma fundamentação em nossas demandas”, afirmou outro docente.  

“Nossa luta é muito maior. É pela qualidade do ensino, e a valorização dos professores é a base de uma educação de qualidade em nosso país. Infelizmente, essa não é a visão dos donos de escolas”, disse Marco Eliel Santos, diretor do Sinpro Minas.

O diretor do sindicato Newton Pereira de Souza comentou a notícia publicada na edição deste sábado do jornal Hoje em Dia sobre a violência no ambiente escolar. “Essa questão é algo muito preocupante no nosso trabalho”, disse, ao criticar a postura do patronal, que se recusa, desde o ano passado, a encaminhar medidas para combater a violência no interior das escolas. 

Nova reunião entre diretores do Sindicato dos Professores de Minas Gerais (Sinpro Minas) e representantes do patronal (Sinep/MG) está agendada para esta terça-feira (17/4).

“A assembleia de hoje foi uma prova de que a categoria vai repetir a mobilização dos anos anteriores e demonstrar mais uma vez para a sociedade que sem valorização profissional e respeito aos docentes não há espaço para uma educação de qualidade”, declarou o diretor do Sinpro Minas Aerton Silva.   

Mobilização para garantir avanços!

Assembleia da categoria

Data: Sábado – 21 de abril

Horário: 9 horas

Local: Auditório do Sinpro Minas (Rua Jaime Gomes, 198 – Floresta – BH)

Pauta: Campanha reivindicatória 2012

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha