Notícias

Professores/as do setor privado deliberam por GREVE!

24 de abril de 2018

Professoras e professores do setor privado de ensino em Minas Gerais decidiram, em assembleia na noite dessa terça-feira (24), entrar em greve.

Os donos de escolas insistem em retirar direitos conquistados há décadas e se mostram irredutíveis a não negociar com o Sinpro Minas a partir do patamar mínimo para se abrir negociações, conforme deliberado em assembleias anteriores da categoria, que é a manutenção dos direitos já conquistados através de muitos anos de lutas e resistências.

Clique aqui e leia a carta aos pais, mães e estudantes
Clique aqui e leia: Estudantes declaram apoio à greve dos professores 
Clique aqui e confira o comparativo entre a proposta patronal e atual Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) dos professores

Cerca de 2000 professores lotaram novamente o hall da ALMG e entenderam que a única forma de serem ouvidos, diante da postura  intransigente dos donos de escola, é paralisar totalmente suas atividades. Professores e professoras de mais de 60 escolas estiveram presentes no ato. Muitos alunos e representantes de grêmios, diretórios centrais de estudantes bem como movimento estudantil também estiveram na assembleia reiterando seu apoio à luta dos seus professores por nenhum direito a menos.

Representantes de outros sindicatos de diversas categorias marcaram presença em apoio e solidariedade à luta dos trabalhadores, assim como alguns pais e mães de alunos/as que compreenderam que uma educação de qualidade para seus filhos depende de professores valorizados e motivados em sala de aula.

Às 10h de quinta-feira, 26, está marcada uma audiência de mediação que reunirá os dois sindicatos, dos professores e dos donos de escolas, no Tribunal Regional do Trabalho, e às 16h será realizada nova assembleia no hall da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, para avaliar a reunião no TRT e definir os rumos do movimento grevista.

Segundo a presidenta do Sinpro Minas, paralisações e greves se validam quando o trabalhador se sente lesado:  “Nossa luta é por garantia de direitos conquistados. Não vamos começar a lutar depois que esses direitos forem retirados. Nossa luta é agora. Não houve recuo na proposta lesiva que o patronal nos impõe. Então, a categoria entendeu, amparada pelos seus direitos constitucionais, que entra em greve a partir de amanhã.”

Às 10h desta quarta-feira, 25, a categoria vai apresentar uma aula pública sobre as suas reivindicações e a contraproposta afrontosa à dignidade dos/as professores/as que os donos de escolas insistem em enfiar goela abaixo dos/as docentes.

Dentre os inúmeros ataques que os donos de escolas impõem aos professores os mais críticos são: perda do adicional por tempo de serviço, perda das bolsas de estudos para professores e dependentes, perda do intervalo (recreio) dos/as professores/as, retirada da cláusula de atestado médico (ou seja, professor não pode adoecer), retirada da representatividade do sindicato (legítimo representante da categoria, conforme apregoa a Constituição da República), retirada da estabilidade do professor aposentando, perda significativa do adicional extraclasse (uma vez que propõem que o professor trabalhe 10% a mais sem remuneração devida), reajuste de 1%, abaixo da inflação – sendo que as mensalidades escolares reajustaram em média 12%.

Uma nova assembleia da categoria, para avaliar os rumos do movimento grevista está prevista para o dia 26, às 16h no Espaço democrático da ALMG.

Confira a agenda das mobilizações aprovada pelos/as professores na assembleia

– A partir de 25/04 os professores do setor privado de ensino encontram-se em GREVE.

– 25/04, às 10h: Aula pública na praça da Savassi para esclarecer à população sobre nossa pauta de reivindicações bem como o desrespeito patronal aos/às professores/as.

– 26/04, às 10h: Manifestação na porta do TRT-MG (Avenida Getúlio Vargas, 225, Funcionários)  durante audiência de mediação entre sindicato profissional e patronal

– 26/04, às 16h: NOVA ASSEMBLEIA DA CATEGORIA para deliberar acerca do movimento – ALMG, Espaço Democrático (hall) – Rua Rodrigues Caldas, 30 – Santo Agostinho.

Confira na galeria abaixo mais fotos da assembleia de professores do dia 24/04, que deliberou por greve

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha