Notícias

Propostas do sindicato para enfrentar a violência nas escolas

4 de outubro de 2011

As propostas do sindicato para enfrentar a violência no ambiente escolar e criar uma cultura de paz estão sendo discutidas no Fórum Técnico Segurança nas Escolas, cuja etapa final começou nesta terça-feira (4/10) e vai até quinta (6/10), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

O Sinpro Minas defende, entre outras propostas, a aprovação de um projeto de lei pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais, com medidas de proteção para os professores, e a a criação, no âmbito do Conselho Estadual de Educação, de uma câmara setorial específica (com a participação de pais, alunos, professores, donos de escolas e do poder público), e de um núcleo interdisciplinar, no interior das instituições de ensino, composto por pedagogos, psicólogos e assistentes sociais.  

Confira abaixo as propostas levadas ao Fórum Técnico Segurança nas Escolas

  • Aprovação de projeto de lei pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais, com medidas de proteção para aos professores e que estimulem a cultura de paz no interior das escolas;
  • Criação, no âmbito dos Conselhos Estadual e Municipal de Educação, de uma câmara setorial específica para tratar do assunto, com a participação de pais, alunos, professores, gestores escolares e do poder público. O Sinpro Minas encaminhou, no início do ano, dois ofícios ao Conselho Estadual de Educação, mas não obteve retorno;
  • Criação pelo Conselho Estadual de Educação de uma ouvidoria para receber todo tipo de denúncia, com ampla divulgação na sociedade;
  • Avaliar com o Ministério Público do Trabalho ações que podem ser encaminhadas nesse sentido. Audiência pública foi realizada em 16 de fevereiro;
  • Negociar com os sindicatos patronais a inclusão nas Convenções Coletivas de Trabalho (CCTs) de cláusula que trate da criação de uma comissão interna, composta por professores, auxiliares de administração escolar, alunos, pais e representantes da direção da escola, com o objetivo de discutir e implementar ações de combate à violência e pela paz nas instituições de ensino;
  • Criação de um núcleo multidisciplinar no interior das escolas, com psicólogos, assistentes sociais e pedagogos;
  • Criação de uma comissão permanente com representantes do Sinpro Minas e dos sindicatos patronais para acompanhar todas as ações contra a violência nas escolas particulares e pela cultura de paz;
  • Criação de colegiados locais, com a participação da comunidade escolar, e reformulação dos regimentos escolares.

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Opinião Sinpro Minas
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha