Notícias

Sem diálogo, prefeitura de BH autoriza volta às aulas presenciais

19 de abril de 2021

Em coletiva à imprensa na tarde desta segunda-feira, 19/04, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil e o secretário municipal de Planejamento e Orçamento, André Reis, anunciaram a retomada das aulas presenciais nas escolas infantis da capital mineira, tanto para escolas públicas como privadas.

O retorno das aulas presenciais será a partir do dia 26/04, para crianças com idade entre zero e 5 anos e 8 meses que, segundo a secretária municipal de Educação, Ângela Dalben, deverão ficar agrupadas como em “bolhas”, tentando evitar o contato entre elas e também com outras da escola. Porém, nem ela, nem o prefeito e nenhum dos seus secretários conseguiu explicar como será feita esta arte de conseguir que uma criança menor de 6 anos fique parada no seu canto, respeitando o distanciamento de dois metros, seja em sala de aula ou no intervelo do recreio. A secretária Ângela Dalben disse que para este retorno será necessário o envolvimento de toda a comunidade escolar, mas também não explicou de que forma. E assusta a todos nós saber que eles, conforme anunciado na coletiva, estão se baseando ainda no protocolo de segurança de 2020, anterior ao surgimento de variantes do novo coronavírus.

Para a presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato, a Prefeitura sucumbiu à pressão dos donos de escola. “Nós, como representantes dos professores/as não fomos ouvidos, não participamos deste debate de construção de saídas. Isso demonstra um descaso com a preocupação de cada um de nós em proteger a vida dos/as professores/as e toda a comunidade escolar. Queremos e precisamos ser ouvidos/as antes de decisões tão importantes como esta, não depois.

O Sinpro Minas enviou, em janeiro,  um ofício para a Prefeitura se colocando à disposição para a discussão de um protocolo de segurança, para quando fosse possível o retorno às aulas presenciais. Porém, a Prefeitura até hoje não retornou. No ofício, o Sinpro pede também que a categoria seja incluída nas lista de prioritários para a imunização”, diz Valéria.

Na coletiva, o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado, em resposta aos jornalistas sobre a importância de se vacinar os/as professores/as, disse que esta possibilidade não foi levada em conta, pois Belo Horizonte não vai “furar a fila” do Ministério da Saúde e vai seguir o Plano Nacional de Imunização (PNI). O secretário disse ainda que a medida de retomada gradativa das aulas está sendo possível agora porque os números atuais demonstram redução. Pelos dados divulgados, a taxa de ocupação das UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo) para covid-19 passou de 86,9% para 81,1%. O RT, que mede o ritmo de transmissão do vírus, se manteve abaixo de 1,0 (0,90). Já a ocupação das enfermarias recuou de 63,5% para 58,9%. Segundo o secretário municipal de Saúde, isso demonstra uma tendência de queda dos riscos e, portanto, um momento oportuno. Ele destacou que “apenas” 36 pessoas aguardam vagas em UTI e que em termos de sepultamento os números caíram de 77 para 27 por dia no município. Porém, conforme desabafam professores nas redes sociais, estes números ainda são assustadores e não garantem que a escola estará livre de ser um local de transmissão do novo coronavírus. “Em 22 de outubro, quando a taxa de incidência era de 49 por 100 mil habitantes, BH não tinha nenhuma condição de retorno às aulas presenciais (híbridas), agora, com a taxa 10 vezes maior e sem vacina, milagrosamente isso se tornou possível?” questionou um professor nas redes sociais.

Valéria Morato ressalta que o retorno às aulas presenciais vai aumentar a  circulação de milhares de crianças, pais e profissionais da educação, colocando em risco a vida de todos. “O Sinpro vai tomar as medidas cabíveis e necessárias para impedir medidas arbitrárias e irresponsáveis como esta, que colocam em risco a vida de milhares de pessoas”, finaliza.

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha