Notícias

Senado consuma o golpe, a luta continua

31 de agosto de 2016

Encerrada a votação do processo de impeachment de Dilma Rousseff. Por 61 votos a 20, o Brasil vive mais um golpe de destituição da presidenta eleita pelo voto popular. O Senado decidiu que ela perde o mandato, porém não cassou seus direitos políticos. Defensores da presidenta Dilma reafirmaram o caráter golpista de seu afastamento.

Agência Senado
A votação, que consistiria numa única pergunta aos senadores, foi dividida em duas questões. Na primeira, os senadores foram indagados se Dilma cometeu esses crimes. Por 61 votos a 20, eles responderam sim. Na segunda votação, não foi aprovada a inabilitação de Dilma por oito anos para o exercício de função pública.

Para a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), a decisão foi política e representa um “golpe contra o povo brasileiro”. A senadora acrescentou ainda que a “luta continua, fora Temer”.

O senador Humberto Costa (PT-PE) manifestou preocupação de o país viver um período de insegurança, que não será superada por um governo que não tem a legitimidade do voto. Para ele, “o Senado entra para as páginas mais tristes da História. A presidenta Dilma foi cassada. Lutamos como pudemos para evitar que essa aberração prosperasse. Mas venceu o fisiologismo, o acordão, o baixo nível político, o golpe”.

Lindbergh Farias (PT-RJ) promete fazer “oposição implacável” e considera o governo Temer ilegítimo. “Nós não reconhecemos Michel Temer como presidente legítimo”, disse. “Será uma oposição implacável”, afirmou Lindbergh.

De Brasília, com Agência Senado

Fonte: Vermelho

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha