Notícias

Sinpro Minas defende adiamento das aulas para crianças de 5 a 11 anos

27 de janeiro de 2022

Na tarde da última quarta-feira, em coletiva de imprensa, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, anunciou o adiamento das aulas para crianças de 5 a 11 anos. Segundo o prefeito, “a medida foi tomada para que se tenha tempo hábil do recebimento de remessas de vacinas contra a Covid-19 e para a imunização das crianças dessa faixa etária”, afirmou. A decisão foi tomada em conjunto com as secretarias municipais de Saúde e Educação, além do Comitê de Enfrentamento à Pandemia.

O Sinpro Minas manifesta apoio à decisão e considera prudente a orientação também embasada pelo Conselho Estadual de Saúde, para que os demais municípios de Minas Gerais respeitem a medida. A imunização tem se mostrado a medida mais eficaz no combate à doença e após a angustiante espera para que as crianças do país pudessem ser vacinadas, é preciso um compromisso coletivo para resguardar essas vidas.

Vale lembrar que o Brasil autorizou a vacinação para crianças de 05 a 11 anos com mais de três meses de atraso com relação a outros países. Em dezembro do ano passado, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) já tinha aprovado a aplicação, mas o próprio governo federal criou barreiras que retardaram ainda mais o processo de imunização.

Valéria Morato, presidenta do Sinpro Minas, afirma que o Sinpro Minas sempre lutou em defesa da vida e da vacinação, pautado pelos órgãos competentes da área da saúde. “Hoje os trabalhadores e trabalhadoras em educação já estão vacinados com a 3ª dose. Mas as crianças ainda não. Sendo assim, nós consideramos acertada a orientação de adiar as aulas para que seja possível vacinar os nossos pequenos”, defendeu.

Valéria analisa que a pandemia não acabou e que todas as medidas de segurança devem ser respeitadas nas escolas. Além da obrigatoriedade do uso de máscaras, ventilação dos espaços, higienização das mãos, Valéria também destaca o papel essencial e imprescindível da imunização. “Defendemos a comprovação da vacinação de todos e todas que fazem parte da comunidade escolar para estarem presencialmente nas instituições. Vacinação não é questão de liberdade individual. É saúde pública”, enfatizou.

Com a volta às aulas que se aproxima, lembramos às/aos professores/as que os canais de comunicação do sindicato seguem abertos para dúvidas e denúncias com relação aos protocolos de segurança em combate à pandemia do Covid-19 nas instituições de ensino.

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Opinião Sinpro Minas
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha