Notícias

Sinpro Minas denuncia à vigilância sanitária escolas em Varginha e Lavras

28 de maio de 2021

O Sinpro Minas denunciou à vigilância sanitária, nesta sexta-feira (28/5), a escola Santos Anjos, em Varginha, e o Instituto Presbiteriano Gammon, em Lavras.

Ambas as instituições de ensino tiveram alunos e/ou professores/as com sintomas de Covid-19, mas suspenderam apenas parcialmente as aulas presenciais.

Em denúncias feitas ao sindicato, docentes relataram o medo de serem infectados/as ao permanecerem em sala de aula, já que muitos/as estudantes e outros/as professores/as tiveram contato com aqueles/as que apresentaram sintomas.

Os/as professores/as também disseram que têm sido pressionados/as para não falar nada a respeito de possíveis casos de Covid-19 no interior das escolas.

À vigilância sanitária, o Sinpro Minas pediu a fiscalização dos protocolos sanitários e que avalie a possibilidade de transferir para o ensino remoto todos os/as professores/as e turmas das escolas, e não apenas aquelas em que houve casos suspeitos ou confirmados.

“O momento atual exige de todos nós muita cautela, já que diversos epidemiologistas alertam para a possibilidade de uma 3ª onda da pandemia no Brasil. A própria Secretaria Estadual de Saúde não descarta essa possibilidade, diante da nova variante do vírus, a indiana, cuja presença já foi confirmada em Minas. Então nossa luta, desde o início, sempre foi em defesa da vida, e a nossa avaliação é de que as escolas deveriam funcionar integralmente de forma remota. Sabemos até que algumas instituições no estado decidiram permanecer somente com as aulas remotas, mesmo com a autorização do retorno presencial, por perceberem o elevado risco à vida de toda a comunidade escolar. Queremos voltar de forma segura, desde que haja a vacinação de todos os profissionais da educação”, ressaltou a diretora do Sinpro Minas Mônica Cardoso.

Ela destacou que, apesar da pressão por parte da direção das escolas, os/as professores/as têm denunciado ao sindicato as irregularidades. “Eles estão receosos de serem infectados/as, diante da fragilidade dos protocolos sanitários nas instituições de ensino e, em muitos casos, da total ausência de cumprimento das medidas de segurança”, afirmou Mônica Cardoso.

O Sinpro Minas pede à categoria que denuncie todos os casos de descumprimento dos protocolos sanitários nas escolas, para que as devidas providências sejam encaminhadas pelo departamento jurídico do sindicato.

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha