Notícias

Sinpro Minas notifica prefeitura de Alfenas sobre descumprimento de liminar

25 de fevereiro de 2021

Decisão do TJ proíbe retorno das aulas presenciais durante a pandemia e Sinpro-MG não descarta ação judicial.

Por Alfenas Hoje

O Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro-Minas) está notificando prefeituras e escolas particulares da região sobre o descumprimento de uma liminar (Clique aqui), obtida junto ao Tribunal de Justiça (TJ) em outubro, que proíbe o retorno das aulas presenciais devido a pandemia. Uma ação judicial não está descartada caso não haja a suspensão dos decretos municipais que permitem o retorno de aulas presenciais.

Em Alfenas, o Sinpro-MG já notificou a Prefeitura e, na semana passada, a direção do Sindicato se reuniu com representantes do governo local para discutir o tema. A Prefeitura de Alfenas publicou um decreto (n° 2.800), assinado no último dia 22 de janeiro, que permite o retorno de aulas presenciais em escolas da rede privada desde o último dia 22. Algumas escolas já retomaram as aulas presenciais no sistema híbrido. Outras programaram o retorno para a próxima semana.

A diretora sindical Mônica Cardoso explicou à reportagem que o Sinpro-MG tem adotado, nesse momento, a estratégia de comunicar oficialmente as prefeituras sobre a liminar e aberto um diálogo com os gestores dos municípios. O objetivo é que haja o adiamento ou a suspensão dos decretos que permitem as aulas presenciais.

Caso não haja a suspensão das aulas presenciais, a sindicalista informou que o Sinpro-MG deve acionar à Justiça, uma vez que a liminar, concedida em outubro, permanece em vigor e é válida para todo o Estado, com exceção de Juiz de Fora. A judicialização, no entanto, só ocorrerá após esgotadas as tentativas de uma solução administrativa.

O Sindicato, segundo Mônica, tem apresentado aos gestores a necessidade de inclusão dos professores no grupo prioritário para imunização como forma de um retorno seguro das aulas presenciais. Ela enfatiza que o Sinpro-MG defende que haja um retorno com segurança aos profissionais e a comunidade estudantil. Além de Alfenas, Pouso Alegre e Varginha também autorizaram aulas presenciais no sistema privada de ensino.

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha