Notícias

Sinpro Minas participa de coletiva de imprensa sobre protocolo de volta às aulas

25 de fevereiro de 2021

Na manhã desta quinta-feira, 25/02, a presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato, participou de coletiva de imprensa sobre o protocolo de volta às aulas, anunciado pelo governo do estado de Minas Gerais, na última quarta-feira, 24/02. Também participaram Analise de Jesus da Silva, coordenadora do Fórum Estadual Permanente de Educação de Minas Gerais (FEPEMG), Denise de Paula Romano, coordenadora geral do SindUte e Beatriz Cerqueira, deputada estadual do PT.

Valéria Morato resgatou a luta do Sinpro Minas pela suspensão das aulas presenciais no início da pandemia, com a obtenção da liminar que respalda o trabalho remoto. Pontuou que é de extrema irresponsabilidade e descaso com a Educação a posição do governo do estado, que defende a volta às aulas. Valéria Morato relembrou os exemplos de Manaus, Triângulo Mineiro e São Paulo, que após a volta às aulas presenciais tiveram um crescimento  considerável no número de contágios e de mortes.

Despreparo

Na coletiva, foi apresentada a falta de estrutura das escolas públicas para o retorno às aulas. Denise Romano, coordenadora-geral do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE), afirmou que há casos de colégios em que só há um banheiro para alunos e funcionários e escolas em que os estudantes precisam merendar no chão.

Mas o despreparo para seguir os protocolos não se limita ao ensino público. Segundo Valéria Morato, “é um engodo achar que as escolas privadas estão prontas para o retorno” e questionou da posição do Sinep, Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais, que acha suficiente o distanciamento de 1,5 metro entre as carteiras, contrariando o protocolo da Prefeitura de Belo Horizonte, que prevê 2 metros.

Pontuou ainda que no interior do estado, muitos espaços foram adaptados para se transformarem em escolas particulares e não apresentam estrutura que atenda aos protocolos de forma segura.

Construção de protocolos

A presidenta do Sinpro Minas esclareceu que o sindicato não foi procurado para elaboração de protocolos. “Nós é que estamos procurando. Tivemos conversas com diversos prefeitos, secretarias e conselhos de Educação, no sentido de ajudar na construção de protocolo de retorno, já que precisamos estar atentos/as a várias nuances, inclusive trabalhistas”, afirmou.

Valéria ainda destacou que o protocolo sanitário é preventivo, mas é preciso se atentar a outros protocolos, como o pedagógico e o emocional, já que muitas pessoas perderam entes queridos, vítimas da Covid-19, inclusive professores.

Ainda destacou que o Sinpro Minas mantém a luta em defesa da vida e dos direitos dos/as professores/as, que não pararam de trabalhar desde o início da crise sanitária. Sobre o retorno às aulas, Valéria ainda detalhou que o Sindicato está fazendo uma representação junto à Defensoria de Direitos Humanos sobre a possibilidade do retorno só nas escolas privadas. “Voltar só a escola privada é uma ação excludente, discriminatória e só aumenta o fosso entre aqueles que conseguem pagar e os que dependem de uma educação pública. A Educação é direito de todos”, afirmou.

Sobre a manifestação de mães e pais em favor da volta às aulas,  Valéria diz ser uma posição importante, que demonstra o papel central da escola na sociedade, ressaltando a urgência da volta presencial ser pensada de forma segura e responsável. “Nós somos defensores do ensino presencial, em todos os níveis. Mas o trabalho remoto é o que está sendo possível neste contexto. Para nós o mais importante é a vida”, ressaltou.

Foto: Cyro Viegas de Oliveira

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha