Notícias

Sinpro Minas repudia demissões na Sociedade Mineira de Cultura

Neste início de ano, o Sinpro Minas tem recebido vários relatos de demissões na Sociedade Mineira de Cultura – SMC. Já são mais de 100 professores/as demitidos/as na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC Minas- e Colégio Santa Maria.

O Sinpro Minas repudia o fato de que muitas dessas demissões são de professores/as com estabilidade trabalhista, ou seja, que estão perto do período de se aposentar e também que estão afastados/as devido a tratamento médico. Além de não respeitar o direito à estabilidade garantido por lei, de acordo com relatos dos/as professores/as, a Sociedade Mineira de Cultura está levando as demissões direto à Justiça do Trabalho, passando por cima do direito à homologação no Sindicato.

O Sinpro Minas ressalta o atropelo aos direitos trabalhistas com esse tipo de ação, mas reafirma seu repúdio com relação a todas as demissões, que representam um impacto na vida da categoria docente, das/os estudantes e, consequentemente, na qualidade e valorização da educação.

Uma das demissões reportadas ao Sinpro é de um professor portador de necessidades especiais, que há quase 20 anos lecionava na PUC. A instituição marcou a data da homologação quando o docente estava fora do país, justamente representando a Universidade com a exposição de um artigo em um congresso. Para o Sinpro Minas, essa atitude coloca em contradição os valores “humanos” propagados por essa instituição católica e revela um total desrespeito e desvalorização de um profissional que já sofre com os reflexos de uma sociedade tão excludente e desigual.

Além disso, a maneira como a instituição vem conduzindo as demissões demonstra como o poder econômico está sendo usado de forma arbitrária, sem diálogo prévio com os/as professores/as e ignorando a realidade e condições desses/as profissionais.

O Sinpro Minas destaca que está tomando as medidas cabíveis nesses casos de demissões, em defesa dos direitos da categoria docente. Já iniciamos este novo ciclo com muitas denúncias de ataques a conquistas históricas, por isso, mais uma vez, reafirmamos a importância de estarmos cada vez mais unidos/as. O Sinpro segue aberto e atento às demandas dos/as professores/as. Não se esqueça que homologar no Sindicato é um direito e que seguimos firmes por nenhum direito a menos!

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha