Notícias

Sinpro Minas repudia violência contra professor em BH

5 de outubro de 2017

A sociedade brasileira atravessa um momento de tensionamento político e fragilidade institucional. As rupturas com preceitos necessários à convivência são aviltados cotidianamente. Neste processo, a democracia, a diversidade, e o respeito às diferenças são valores que vêm sendo paulatinamente ignorados, dando lugar a seus opostos, dificultando a vida em coletividade e a primazia da unidade popular que devemos incessantemente construir.

O contexto de quebra da estabilidade democrática traz consequências deletérias para o funcionamento da sociedade, como a insegurança, a incerteza e a instalação de violência que, antes tida como processo marginal à mesma, ganha aparência de “normalidade” e respaldo por parte de determinados setores sociais conservadores.

Chegou hoje (05/10) ao conhecimento do Sinpro Minas que um professor da Faculdade Faminas-BH foi agredido, na segunda (02/10), por um estudante durante aplicação de prova no curso de Direito, no exercício de sua autoridade docente. Conforme o relato, após ter sido advertido pelo professor que teria sua prova anulada em função do uso indevido do celular durante a avaliação, contrariando as regras estabelecidas, o aluno reagiu de forma violenta contra o mesmo, inclusive com ameaças verbais e físicas.

Acreditamos que o incidente em questão é um reflexo da conjuntura que se impõem na ordem do dia. Temos assistido a diversos ataques à autonomia docente e à liberdade de cátedra, como é o caso da pauta da lei da mordaça – que se tenta aplicar em diversos locais do país. Assistimos, também, ao corte de conteúdos relevantes ao convívio social e que levam à reflexão crítica – por parte de reformas curriculares impostas de forma anti-democrática – assim como – e por consequência – o crescimento do desrespeito ao professor e à sua autoridade em sala de aula.

O Sinpro Minas, enquanto entidade histórica de defesa da categoria docente, repudia com veemência qualquer ato de violência e desrespeito e não medirá esforços para apurar o caso e defender o professor e quaisquer outros professores em sua autonomia, autoridade e integridades física e moral.

Reiteramos, diuturnamente, que trabalhamos e lutamos pela valorização docente, pelo respeito, contra toda forma de violência e em favor da cultura da paz. Por nenhum direito a menos e em defesa da educação de qualidade social para todos/as.

Diretoria do Sinpro Minas

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha