Notícias

Sinpro Minas se reúne com professores demitidos da Newton Paiva

18 de janeiro de 2013

Diretores do Sinpro Minas se reuniram nessa quinta-feira (17/1) com professores demitidos da Newton Paiva, com o objetivo de prestar esclarecimentos jurídicos da situação e discutir ações a serem encaminhadas.

Na reunião, o presidente do Sinpro Minas, Gilson Reis, voltou a criticar a decisão do Centro Universitário e ressaltou que as demissões em massa são reflexo da mercantilização da educação. Ele traçou um panorama do ensino privado no país e disse que os professores precisam estar unidos para impedir que as condições de trabalho da categoria sejam ainda mais precarizadas.

Gilson Reis disse ainda que já houve casos em que a Justiça do Trabalho reverteu situações semelhantes ou puniu empresas que demitiram em massa, e afirmou que, caso a direção da Newton Paiva não mude de posição, o sindicato vai recorrer à Justiça.

Uma nova audiência com representantes da instituição de ensino está agendada para a próxima terça-feira (22/1), às 15h30, no Ministério Público do Trabalho (MPT). “É muito importante que todos estejam presentes nesta audiência, para que possamos pressioná-los a atender as reivindicações dos professores”, disse Gilson Reis. 

A audiência dessa quarta-feira (16/1) no MPT terminou sem acordo, já que os representantes do Centro Universitário não apresentaram proposta para suspender as demissões. Duas reuniões para tratar do assunto foram realizadas em dezembro na Superintendência Regional do Trabalho (SRT), mas também não houve avanços.

Na reunião dessa quinta-feira, a diretoria do Sinpro Minas ressaltou que a suspensão das homologações tem o objetivo de barrar o processo de mercantilização do ensino e preservar os direitos da categoria. Os docentes relataram o clima de insatisfação no Centro Universitário e reafirmaram que estão de acordo com as ações do sindicato em relação às demissões.   

Audiência no Ministério Público do Trabalho (MPT)Data: 22/1 – terça-feiraHorário: 15h30Local: Rua Bernardo Guimarães, 1615, bairro Funcionários (quase esquina com rua da Bahia).

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Opinião Sinpro Minas
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha