Notícias

Temer mira a Caixa; abertura de capital será realizada em até 24 meses

10 de maio de 2016

A edição desta segunda-feira (9), do Estado de S. Paulo (Estadão), estampa mais uma manchete que sinaliza para o desmatelamento de um projeto em construção. O pretenso presidente Michel Temer mira na Caixa Econômica Federal e sinaliza que abertura de capital do estatal é o caminho desenhado para os próximos dois anos.

De acordo com a equipe de Temer, o banco precisa sofrer uma espécie de saneamento operacional, com a privatização de três áreas: seguros, loterias e cartões. O já indicado por Temer para novo presidente, Gilberto Occhi, aponta em seus discursos que tais procedimentos serão fundamentais para que a instituição volte a se concentrar na atividade bancária.

Temer já sinalizou que haverá uma operação “pente fino” na Caixa, especialmente na questão dos subsídios. É bom lembrar que a Caixa é o principal financiador do Minha Casa, Minha Vida e do Bolsa Família.

A equipe de Temer indica que para a abertura de capital será preciso rever o preço que o banco estatal cobra pelos serviços prestados ao governo federal, como a administração de fundos (como o FGTS) e o pagamento de benefícios, incluindo o Bolsa Família. Feito isso, em seis e nove meses, já se desenharia  um “novo banco”.

É interessante destacar que ao deixar de ser uma empresa estatal integral e passando a ter parte do capital entregue a investidores privados, o país sofrerá grande impacto político e econômico, sobretudo em programas estruturantes que estão em curso desde 2004.

Conselhão da privatização

Para a façanha de privatizar tudo que for possível, o loteador Michel Temer irá criar um conselhão às avessas. As Concessões, privatizações e parcerias público-privadas vão estar sob responsabilidade de um grupo técnico vinculado à Presidência da República, que deverá ser chefiado por Wellington Moreira Franco.

O grupo técnico será responsável por qualquer tipo de privatização ou até mesmo PPPs, mesmo que de outras áreas, como saúde e educação. E terá o objetivo de sinalizar ao mercado a intenção do governo de realizar tudo que for possível para garantir ganhos.

Portal CTB – Joanne Mota, com informações do jornal Estado de S. Paulo

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha