Notícias

Terceirização irrestrita de olho na Educação, Saúde, Segurança e Cultura

Receita básica do sistema capitalista, que sempre olha de onde pode lucrar ainda mais, serviços como Educação, Saúde e Cultura podem ser os primeiros a serem afetados pela terceirização irrestrita aprovada, na última semana, pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Adilson Araújo: Decisão do STF escancara golpe contra classe trabalhadora

ctbcontraotrabalhoprecario terceirizacao

“Num cenário de redução de investimentos, efeito da da Emenda Constitucional (EC) 95, a gente avalia que os estados vão usar esse instrumento de poder para ampliar a terceirização do serviço público e reduzir os seus custos. Ou seja, pode piorar ainda mais as condições de trabalho e o serviço ofertado à população”, avalia Adriana Marcolino, socióloga e técnica do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em entrevista a TVT.

Uma gestão contra o Brasil

Segundo o Dieese, os terceirizados ganham em média 25% menos, se acidentam 60% mais e trabalham 12 horas a mais por mês. A rotatividade da mão de obra também é o dobro da registrada em relação ao contratado direto. Por todos esses fatores, a terceirização não significa melhora para os trabalhadores e nem para o serviço público.


Joanne Mota, do Portal CTB – Com informações da TVT

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha